Dottie Rambo (1934-2008)

Biografia

Dottie Rambo (1934-2008)

Dottie Rambo

Dottie Rambo (2 de março de 1934 – 11 de maio de 2008) nasceu em Madisonville, Kentucky, em período marcado pela Grande Depressão que assolava os EUA. A menina Joyce Reba Luttrell (nome de batismo de Dottie Rambo) cresceu em meio à pobreza e desenvolveu afinidade logo cedo para a música, especificamente para o estilo country, aprendendo a tocar guitarra. Recebeu apoio dos pais, com 08 anos de idade começou a compor canções e aos 10 anos já se apresentava em um programa de rádio local tocando e cantando música country.

A conversão de Dottie ao cristianismo se deu quando ela tinha 12 anos de idade e a fez assumir um compromisso de só compor e cantar música cristã. Isso provocou uma crise no relacionamento com seu pai, que a obrigou a escolher entre desistir da música cristã ou partir. Dessa maneira, Dottie só retornava para casa no Natal ou em seu aniversário, passando o restante do tempo viajando e cantando nas igrejas por onde passava. Com 16 anos, conheceu Buck Rambo em uma reunião de avivamento, casaram-se pouco tempo depois, formaram um trio chamado “The Gospel Echoes” e passaram a viajar pelo centro-oeste e sul dos EUA. No ano seguinte, 1951, nasceu sua filha Reba, que passou a integrar o grupo no ano de 1964, que passou a se chamar “The Singing Rambos” e, posteriormente, “The Rambos”.

“The Singing Rambos” teve a oportunidade de cantar para o então governador da Louisiana, Jimmy Davis. Eles receberam, na época, cerca de três mil dólares para a publicação de suas canções pela Jimmie Davis Music (BMI). Um fato a ser destacado é que, mesmo com Jimmy Davis aparecendo como coautor nas composições de Rambo durante este período, ela declarou publicamente que isso não aconteceu. Davis não participou da elaboração de nenhuma música ou letra para as composições de Rambo. Essa exigência teria vindo após o acordo firmado para publicação. Atualmente, a Jimmie Davis Music é propriedade da Peer Music.

Com a Jimmie Davis Music promovendo as canções de Dottie Rambo no início dos anos 60, o cenário começou a mudar. Nesta fase, A Warner Brothers Records assinou contrato com Dottie e The Gospel Echoes para a gravação de dois discos. A gravadora sugeriu que o grupo mudasse o trabalho deles para o estilo folk e que Dottie considerasse a possibilidade de fazer música blues. Ambas foram recusadas, pois a música voltada para o Evangelho falava mais alto.

Em 1968, o álbum It’s The Soul of Me, ganhou o Grammy de Melhor Álbum Evangélico, desbancando nomes como Mavis Staples e James Cleveland. A revista Billboard destacou o álbum pelo fato de todo o coro que cantou ser integrado somente por negros. As gravações mantiveram-se em constante evidência, sempre primando pela qualidade, com participações de músicos de alto nível.

A canção He Looked Beyond My Fault (And Saw My Need) fez tremendo sucesso, fazendo com que as composições de Dottie passassem a ser gravadas por artistas de destaque, como Elvis Presley, Barbara Mandrell, Bill Monroe, Carol Channing, Dolly Parton, Johnny Cash, Whitney Houston, Vince Gill, Dottie West, Pat Boone, Sandi Patty, Rhonda Vincent, Vestal Goodman, Little Richard, Jerry Lee Lewis, Solomon Burke, George Jones os Oak Ridge Boys, dentre outros. A capacidade criativa de Dottie em usar as palavras certas com melodias apropriadas fez com que suas canções se tornassem atemporais, prova disso é Down by The Creek Bank, um dos discos infantis cristãos mais bem sucedidos da história, ganhador do disco de platina; ou a gravação de Whitney Houston da canção I Go to the Rock, para o filme The Preacher’s Wife, que ganhou um Dove Award (juntamente com Dottie Rambo).

Em 1969 Dottie Rambo compôs If That isn’t Love, popularmente conhecido como “Deixou o Esplendor de sua Glória (Se isto não for amor)”, também interpretado por Elvis Presley, e em português gravado por Luiz de Carvalho & Denise no álbum “Luiz de Carvalho & Denise – Vol. 2”.

Se isto não for amor

Deixou o esplendor de sua glória
Sabendo o destino aqui;
Estava só e ferido no Gólgota
Para dar sua vida por mim.

Coro
Se isto não for amor, o oceano secou,
Não há estrelas no céu,
As andorinhas não voam mais;
Se isto não for amor, o céu não é real,
Tudo perde o valor se isto não for amor.

Mesmo na morte lembrou-se
De um ladrão que a seu lado estava;
Com amor e ternura falou-lhe:
“Ao paraíso comigo irás”.

É muito comum também encontrar hinários que incluíram as composições de Dottie. A série Gaither Homecoming tem apresentado dezenas das suas canções; além disso, ela apareceu em cinco das séries de vídeo e televisão Gaither Homecoming. Vale salientar que desde a criação das redes de televisão cristã, Dottie foi um elemento importante na nova plataforma, aparecendo no CBN de Pat Robertson e no 700 Club, no TBN de Paul e Jan Crouch, no PTL de Jim e Tammy Faye Bakker. A sua vinculação mais próxima foi com o TBN, onde teve uma série de televisão que ficou como o programa nº 2 durante 6 anos, “The Dottie Rambo Magazine”. A série apresentava música, segmentos culinários, e convidados de celebridades.

A partir do ano de 1989, Dottie passou a sofrer com dores fortes nas costas devido a uma ruptura de disco, provocando uma calcificação das suas vértebras da medula espinhal. Outros problemas que foram surgindo e os desgastes atingindo áreas emocional e financeira fizeram com que Buck e Dottie optasse pelo divórcio no ano de 1994. Mesmo em meio a muito sofrimento, Dottie continuou ativa durante a década de 1990, cantando pelo país e na televisão. Ela recebeu o prêmio Compositora do Século, outorgado pela Associação Cristã de Música Country, em 1994 e, em 2000, foi a vez da ASCAP homenageá-la com o prêmio “Lifetime Achievement”, pelo seu trabalho ao longo da carreira. Dottie foi aceita por diferentes organizações de destaque do meio musical evangélico. Em 1991, ela foi admitida no Gospel Music Hall Of Fame; em 1997, no The Southern Gospel Music Hall Of Fame; em 2006 foi admitida no Salão da Fama do Kentucky, com Lily Tomlin a apresentar-lhe a honra; em 2007 Barbara Mandrell apresentou a Dottie a sua admissão no Hall da Fama da Associação de Músicos de Nashville (foi a 10ª mulher a ser empossada) e em 2008 foi empossada no Hall da Fama da Música da Geórgia.

Em 2002, Dottie volta aos estúdios de gravação para o seu 71º álbum, intitulado Stand by the River, que obteve grande sucesso, fazendo com que Dottie se mantivesse como uma artista que conseguiu gravar discos de destaque ao longo de cinco décadas. Em 2004, foi lançado um DVD ao vivo como tributo a Dottie Rambo, intitulado We Shall Behold Him. Em novembro de 2007, terminou a gravação do álbum Sheltered, que foi lançado postumamente, em setembro de 2009.

Dottie Rambo faleceu em um acidente de carro ocorrido em 11 de maio de 2008 enquanto se dirigia para um concerto do Dia das Mães no estado do Texas-EUA. Sua obra permanece viva por meio das de 2.500 canções compostas ao longo de uma significativa carreira musical.

Perfil Biográfico por Armindo Ferreira

Fontes de Consulta:
https://www.dottierambo.net/about. Acesso em 11 nov. 2022.
https://en.wikipedia.org/wiki/Dottie_Rambo. Acesso em 11 nov. 2022.

© 2022 do texto de Armindo Ferreira – Usado com permissão

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.