Claude Goudimel

Biografia

Claude Goudimel (1520-1572)

Claude Goudimel

Músico huguenote nascido em Besançon (1520), estudou na Universidade de Paris e morreu em Lion, vítima da noite de São Bartolomeu (1572). Ele frequentou centros humanistas, musicando notadamente os poemas de Ronsard (poeta renascentista francês). Ele participou em 1552 ao suplemento musical dos Amores. Ele musicou as Odes de Horácio em 1555, compôs canções profanas, cânticos espirituais sob poemas de Marc Antoine Muret. Goudimel soube aliar as preocupações do Humanismo, da Renascença, às exigências da Reforma Protestante (Bernardeau, Pineau1987).

A noite de São Bartolomeu se estendeu por vários dias e por diversas cidades da França. A morte de Goudimel sucitou a publicação de várias peças fúnebres e epitáfios nas publicações musicais poéticas de seu tempo.  O pastor Jean Rigaud (Lion, 1574) declara que Goudimel fazia parte dos protestantes massacrados e jogados no rio Rhône (Crespin, 1574)

Goudimel, excelente músico, e a sua memória será perpetuada por ter escrito de forma tão feliz a música dos salmos de David, dos quais a maior parte foi colocada em forma de moteto à quatro, cinco, seis e oito partes, e se a morte não o tivesse recolhido tão cedo, ele teria terminado a sua obra. Mas, os inimigos da glória de Deus, et alguns maldosos, invejosos da honra que este personagem havia conquistado, o privaram do tamanho bem que ele faria àqueles  que amam a música

             A Reforma Protestante dirigida por Martinho Lutero (1517) tirou a música religiosa da sua placabilidade e pacatez (pois até esta época e, muitos séculos depois, música religiosa significava: o canto gregoriano). No protestantismo, a música goza de um prestígio inigualável. No culto reformado alemão, o coral luterano abandona a língua latina e se transforma praticamente em um canto popular, cantado em uníssono pelos fiéis.

Já, na França, no calvinismo, protestantismo instituído por Jean Calvino (1535-1564), a música veio de forma mais austera. Embora, houvessem muitos cânticos espirituais espontâneos, diz-se que em atividade cultual, o repertório se limitava à metrificação dos 150 salmos, de escrita silábica e, em língua vernácula (língua vulgar =língua do povo) em oposição à língua erudita que era o latim. A forma era homorrítmica (blocos rítmicos), favorecendo a inteligibilidade do texto. No livro “Histoire des Protestants de France” (Bost, 1994), infere que Calvino, ele mesmo escreveu os Salmos em forma de moteto (de três a oito vozes) a partir de 1551, e os Salmos de Davi (1564, 1565), em escrita contrapontística. Para ele, cântico religioso, era sinônimo de Salmos.

Porém, foi Clément Marot que teve a ideia de transpor os salmos em música, metrificando-os, por volta de 1533.  E Calvino introduziu estes salmos no culto. Théodorore Bèze, Louis Bourgeois, Pierre Daguès e Claude Goudimel compuseram a música necessária para metrificar os salmos, se inspirando de cânticos populares. O Saltério de Genebra estava completo em 1562 e foi vendido com grande sucesso.

A flama ardente da reforma protestante francesa, foi então calcada na música. Mas o que restou dela, na herança protestante francesa e brasileira?

Hinário Total de cânticos  Quantidade dos Salmos do Saltério de Genebra Harmonização de GOUDIMEL
A toi la gloire 399 12 Salmo 121
Sur les ailes de la foi 655 19 Salmo 121
Arc en ciel 891 63 Cerca de 59 salmos
Cantai Todos os povos 500 apenas 02 (Bougeois) 0
Hinário Evangélico 14 (Bourgeois)
Hinário Adventista 610 0 0
Hinário para o Culto Cristão 613 Salmo 5 (Bourgeois)
Novo Cântico 400 04 (Bourgeois) 01
Harpa Cristã

Salmos e Hinos

640

652

05

02

 

Glossário

Calvinismo- doutrina protestante reformada ensinada por Calvino (1509-1564). Ele publicou em 1536 as Institutas- Instituição da fé cristã.

Coral- originalmente era uma melodia simples e cantábile, pois era destinada ao canto congregacional e não para um coro profissional. O texto é bastante rimado, para facilitar a memorização. O padrão melódico seguido, normalmente é AAB.

Huguenote:  o pequeno lobo-mal. Os primeiros protestantes na França se distinguiam pela sua vida austera e pelo seu vocabulário bíblico. Como, eles se reuniam somente à noite, o povo da região de Tours, associava os protestantes às práticas espiritualistas. Dizia-se de um rei, chamado Hugon, como um mal espírito que vagueava à noite. Os protestantes foram alcunhados de huguenotes por chacota ( Bost,1994).

Noite de São Bartolomeu: 24 de agosto de 1572. Os assassinos de Paris tinham, cada um, uma vítima designada a ser morto em seu próprio domicílio. O primeiro a ser morto foi o almirante Coligny. Mulheres e crianças eram igualmente assassinados, seus corpos eram desnudados e jogados no rio Sena em Paris. Mais de 4.000 mortos foram contados, dentre eles, Goudimel.

Saltério de Genebra- É o hinário litúrgico oficial da Igreja reformada de Genebra. Versão completa dos 150 salmos, ritmados na língua francesa, destinadas ao culto.  As melodias são anônimas, pois são de inspiração popular, porém, foram harmonizadas por músicos altamente competentes da época. A primeira edição completa, data de 1562.   Devido às perseguições da época, foi elaborado em etapas: 1539-1562 em Strasbourg- França.

Referências Bibliográficas

BOST, C- Histoire des protestants de France. 2a ed.  – Ed. La Cause- Carrières sous Poissy, 1994

BERNARDEAU, T. e PINEAU, M.- Histoire de la musique, La musique dans l´histoire. ED. Hatier-Bélgica, 1987)

CRESPIN, J- Martyrologue Protestant 1 vol. Ed. La cause- Neully

BELLERMAN- Le Reliquqe de Melissus – 1874

Cyrene Paparotti Gounin

© 2019 de Cyrene Paparotti Gounin – Usado com permissão

(1520-1572)

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *