A Nova Canção

HistóriaLetraInformaçõesPartituras e Recursos

A Nova Canção 

Letra e Música: Simei Monteiro, 1973

Nos anos 70 estive participando dos primeiros movimentos em favor de uma música evangélica de raízes brasileiras. Afinal, havia descoberto, através de meus estudos de hinologia, que as hinódias, que usávamos nas igrejas do Brasil, tinham raízes profundas na música popular de seus países de origem.  Isso me animou a pesquisar os ritmos e melodias brasileiras.

Estava estudando teologia e música, no ISEDET, em Buenos Aires e, durante uma das aulas do saudoso professor Miguez Bonino, fiquei muito impressionada, pensado na responsabilidade cristã da comunicação do evangelho hoje, no mundo. Um texto poético começou a se formar em minha mente. Terminada a aula escrevi o texto de uma só vez.

Ao buscar uma melodia para meu texto lembrei-me do canto dos pássaros brasileiros, que havia escutado em uma fita cassete: Logo recordei o início do canto de uma deles: do4 sol3 sib3. Também me lembrei de algumas melodias nordestinas que continham essa sequencia melódica. Rapidamente letra e música se juntaram e nasceu A Nova Canção. Foi tudo muito rápido. Escrevi a música e na semana seguinte meu querido professor, Pablo Sosa, traduziu o texto para o espanhol.

Um encontro sobre comunicação iria se realizar no Brasil na atual Universidade Metodista de São Paulo. Meu esposo, Jairo Monteiro, iria participar como palestrante. Norah Buyers,  missionária no Brasil e minha grande amiga, era a responsável pela música do evento.

Decidi enviar-lhe A Nova Canção para ver se esta poderia ser cantada durante um dos cultos. Ela gostou muito da canção que acabou se tornando o hino oficial do encontro. O texto, que recorda o Salmo 96, tinha tudo a ver com comunicação do evangelho. Quando se reflete nisso, somos levados a pensar no Cristo que não somente viveu, mas que também morreu; que está presente conosco, mora e luta conosco.

Outras expressões do texto também apelam para a efetiva comunicação do evangelho: “o novo canto da terra”, “reconstrução”, “língua do povo… palavras que já tem gosto… do coração”.

Hoje tenho a prazer de ver A Nova Canção publicada e traduzida em várias línguas e apreciada como um hino realmente brasileiro.

Há vários arranjos corais e para canto congregacional. Norah Buyers usou o título para a sua coleção de cantos brasileiros: A Nova Canção.

Dorotéa Kerr gravou este hino em CD e DVD com o Grande Coral Evangélico (SP) em 2011, totalizando 250 vozes na Igreja Presbiteriana do Jardim das Oliveiras, com arranjo de Décio E. Lauretti.

Simei Monteiro

A Nova Canção 

Letra e Música: Simei Monteiro, 1973

Canto o novo canto da terra,
da gente que ama e espera, Senhor,
a tua reconstrução.
Falo na nova língua do povo,
palavras que já têm gosto,
Senhor, palavras do coração.
Que Cristo veio e morreu,
e não apenas viveu, e veio para ficar,
e vem comigo morar, morar,
e vem comigo morar.

Vivo a vida que é diferente,
que quer ver minha gente,
Senhor, te amar e ser como tu.
Quero mudar a face do mundo
e dar amor mais profundo, Senhor
Senhor, do que se costuma dar.
pois Cristo veio e morreu,
e não apenas viveu. E veio para ficar,
e vem comigo lutar, lutar,
e vem comigo lutar,
vem lutar, vem lutar.

A Nova Canção 

Letra e Música: Simei Monteiro (1943)

Data da composição: 1973

Métrica: 10.10.7.10.10.7.

Estribilho: 7.7.7.9.7.

Título Original: “A Nova Canção”

Primeira linha: Canto o novo canto da terra

Hinários no Brasil: A Nova Canção, Hinário Para o Culto Cristão.

Álbuns: 

  • CD Hinos da Nossa História II – Grande Coral Evangélico – Regência Dorotéa Kerr, 2011. (Faixa 09)

Referência Bíblica: I Pedro 2:9

Arranjadores: Magno Bisolli, 2003 / Décio Lauretti, 2011

Áudio: CD Hinos da Nossa História II –  Grande Coral Evangélico – Regência Dorotéa Kerr, 2011. (Faixa 09) – Usado com permissão

Você pode gostar...

3 Resultados

  1. Jose Aparecido dos Santos disse:

    Faz muito tempo que tenho ouvido esta música, desde o tempo do CANTEIRO, uma coletânea produzida pela Igreja Presbiteriana Independente do Brasil. Contudo ouvir este coral com os arranjos, a música é uma verdadeira voz do Espírito divino na linguagem do povo brasileiro de todos os lugares e época. Que pena a divulgação não tem alcançado ainda a dimensão que precisa para mover vontades e despertar principalmente evangélicos numa missão da proclamação do Cristo cujo verbo seja encanado nas nossas carências em meio a nossa gente sofrida que precisa de esperança viva e concreta de uma verdade que desfaça o proselitismo perverso dos enganadores…

  2. Jose Aparecido dos Santos disse:

    Faz muito tempo que tenho ouvido esta música, desde o tempo do CANTEIRO, uma coletânea produzida pela Igreja Presbiteriana Independente do Brasil. Contudo ouvir este coral com os arranjos, a música é uma verdadeira voz do Espírito divino na linguagem do povo brasileiro de todos os lugares e época. Que pena a divulgação não tem alcançado ainda a dimensão que precisa para mover vontades e despertar principalmente evangélicos numa missão da proclamação do Cristo cujo verbo seja encanado nas nossas carências em meio a nossa gente sofrida que precisa de esperança viva e concreta de uma verdade que desfaça o proselitismo perverso dos enganadores…

  3. Rísia de Barros Coelho disse:

    Fiquei encantada com a qualidade da gravação dessa música tão expressiva e querida, que canto desde 1976. Obrigada pelo acesso às partituras. Um beijo pra minha prima Simei de Barros Monteiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *