Joaquim Júnior

Joaquim Júnior

Joaquim Otávio Pereira da Silva Júnior nasceu em 30/04/1985 na cidade de Brasília/DF. Seu interesse pela música iniciou ainda na infância, graças ao estímulo de sua mãe para o aprendizado do piano e canto congregacional na igreja. Começou seus estudos em música aos 8 anos, tendo feito aulas de Teclado e, posteriormente, de Piano.

Desde o início da sua juventude, tem cantado em diversos Coros Sacros.

Nos últimos 7 anos, tem participado de Coros da Igreja Memorial Batista de Brasília. Destacam-se os 3 anos na Presidência do Coro Jovem, as apresentações da Sinfonia nº 2, de Mendelssohn, e do Oratório “Jesus, alegria dos Homens”, de Ralph Manuel, e os concertos anuais de Cantatas de Páscoa e Natal. Com esses Coros, se apresentou ainda no Chile em 2010, em Niterói-RJ e em Gramado-RS em 2011 e nos EUA em 2012 e em 2015.

Até 2015, também fez parte do Coral Evangélico de Brasília, sob a regência do maestro Emilio de Cesar. Em 2011, o Coral realizou uma excursão na Europa e participou do 9º Concurso Internacional de Coros “In… Canto Sul Garda”, em Riva Del Garda, na Itália. Nesse Concurso, o Coral foi agraciado com dois diplomas de ouro nas categorias de Música Sacra e Música Gospel.

Em maio de 2017, teve a oportunidade de subir em um dos palcos mais prestigiados do mundo, o Carnegie Hall, de Nova Iorque (EUA). Como integrante do Coro Tutti Choir Bsb, apresentou a Missa de Alcaçuz, de Danilo Guainais, sob a regência do maestro Vladimir Silva.

Foi no ano de 2007 que Joaquim Júnior conheceu o Canto Erudito.

Enquanto cursava Estatística na Unb, teve a oportunidade de estudar Canto Erudito com a professora Irene Bentley. A partir desse contato, ele foi convidado a participar do projeto Ópera Estúdio e, nos anos de 2008 e 2009, cantou no coro da ópera “O Barbeiro de Sevilha”, de Rossini.

A partir dessa experiência, surgiu o interesse em se dedicar mais ao Canto Erudito e no ano de 2012 iniciou seus estudos na Escola de Música de Brasília (CEP-EMB), sob a orientação do professor Francisco Frias. Em 2014, concluiu o Curso de Educação Profissional de Nível Básico em Canto Erudito e atualmente cursa o Técnico. Ao final do ano de 2016, participou da montagem da ópera “As alegres comadres de Windsor” (Otto Nicolai; Shakespeare); em julho de 2017, da ópera “Fidelio” (Beethoven); e, em julho de 2018, da ópera “I Capuleti e i Montecchi” (Bellini).

Nos últimos anos, Joaquim Júnior tem atuado como solista em diversas igrejas, com destaque às apresentações da Cantata “Boas Novas”, de Bob Oldenburg; do musical “Ele venceu a morte”, no papel de Pilatos; do Oratório “O Messias”, de Handel; e do “Magnificat” de Buxtehude.

Fonte: O Colaborador

Você pode gostar...