Jackson Fontes

Biografia

Jackson de Halley Fernandes Fontes (1955-2010)

Jackson Fontes

Jackson de Halley Fernandes Fontes nasceu em 10/03/1955 na cidade de Belo Horizonte/MG.

Antes de se converter era usuário de substâncias químicas que ele mesmo fabricava em casa. Certa ocasião estava vestido de uma roupa toda branca e apresentava-se muito pálido. As pessoas, então, zombaram dele chamando-o de “Boneco de Cera”.

Diante da zombaria, ele mesmo escreveu na parte da frente da camiseta branca que usava o nome “Boneco de Cera” e, na parte de trás, “Cadáver que anda”.

Viveu uma triste história até o dia em que encontrou-se com Jesus e teve sua vida transformada por Deus.

Jackson converteu-se ao Evangelho na Igreja Peniel, em Belo Horizonte. Posteriormente mudou-se com toda a sua família para a cidade de Vila Velha, no Espírito Santo, onde continuou vivendo a serviço de Deus e começou a frequentar a Igreja Cristã Maranata (ICM).

Nos idos de 1970 tocava guitarra na ICM de Vila Velha. Naquela ocasião compôs muitos hinos e dizia sempre serem todos inspirados por Deus. Eram hinos edificantes que contavam a história da vida cristã e o sentimento profundo de uma vida transformada por Deus. Ele impactou muitos jovens que o conheceram e foi por eles muito apreciado e admirado. Até hoje continua a impactar a vida dos que escutam suas composições.

De uma humildade notável, dizia sempre, ao apresentar uma nova canção, que Deus lhe havia dado. Apesar de sua simplicidade ímpar, sua obra revela pérolas incríveis de adoração ao Senhor. Usava sua capacidade musical a serviço de Deus, sempre dando testemunho da transformação operada em sua vida. Tinha prazer em ensinar os jovens a tocar e a cantar suas composições.

Ele mesmo relatou que, certa vez, ao pregar a Palavra de Deus dentro de um ônibus na Avenida Afonso Pena, em Belo Horizonte, foi duramente rejeitado e expulso de lá, o que lhe inspirou a escrever um hino que continha a seguinte frase: “Mas Jesus, falo de Ti, mesmo não sendo ouvido”. Este hino foi intitulado por ele como “Oh! Meu Criador!”.

Frequentava assiduamente a casa da Dona Ilda Fernandes, onde faziam cultos e ele tocava seu violão, cantava suas músicas e dava seu testemunho de vida. Também apreciava tocar piano e, junto com seu amigo Betinho (Roberto Cézar Fernandes), passavam horas vendo os melhores acordes e arranjos.

Jackson sempre foi uma pessoa extremamente sensível e temente ao Senhor. Muitas vezes, para não perder a melodia que descia do trono de Deus no meio da madrugada, ele se levantava e fazia o registro tocando o piano ou o violão, e cantarolando somente a música. Assim, não se esquecia da melodia e trabalhava na composição da letra, que vinha depois, com a inspiração de Deus.

Jackson era considerado genial e muito especial por aqueles que o conheceram pessoalmente. Ele deixou o seu testemunho da necessidade de sempre ter os ouvidos atentos à voz do Senhor.

Uma pessoa humilde, transparente, honesta e muito espiritual, querendo sempre servir somente a Deus. Suas canções eram ricas em letra e harmonia. Todas as suas composições, segundo ele, são para a honra e glória de Deus. Nisto estava a sua felicidade.

Abaixo seguem hinos de sua autoria, sendo que alguns constam na Coletânea de Hinos da Igreja Cristã Maranata:

  • As Muitas Águas não Podem Apagar
  • Céu Azul, Primavera em flor
  • Do Norte vem o Áureo Esplendor[1]
  • Ele morreu, mas ressurgiu[2]
  • Em ti eu encontro, ó Deus toda a paz
  • Eu Espero, Ansioso, por meu Deus
  • Eu sou a fonte da vida
  • Faz-me inabalável
  • Leva o Fardo
  • Louvo-te, Oh! Deus!
  • O Amor de Deus por Nós
  • O Mesmo Deus
  • O Senhor é o Meu Pastor (Bondade e Misericórdia)
  • Oh! Meu Criador
  • Profundos Vales eu Terei de Passar
  • Quero transmitir
  • Se queres ter a paz como um lago azul
  • Sou Caminhante aqui nesta Terra
  • Viver é Tão Lindo

Jackson teve seus hinos gravados pelo Quarteto Vida (Eu sou a fonte da vida), Elias Maia (Em Setembro a Primavera Vem), Grupo Expresso Luz (Do Norte vem o áureo esplendor), João Batista Rangel (Profundos Vales eu terei de Passar) e Sueli Veiga (Do Norte Vem o Áureo Esplendor; Eu sou a fonte da vida; O Senhor é o meu Pastor (Bondade e Misericórdia) com arranjos de Tutuca Borba.

 

Jackson faleceu em 04/01/2010, na cidade de Vila Velha, ES.

Esta biografia foi gerada através de relatos e comentários de:

Hinologia Cristã

© 2019 de Hinologia Cristã – Usado com permissão

[1] Hino escrito em parceria com Henrique Adolfo de Freitas.

[2] Hino escrito em parceria com Everaldo Cavalcante Lima.

(1955-2010)

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Fabíola Fernandes Bósio disse:

    Em janeiro de 1974, eu faria 15 anos, quando fui visitar meus tios e primos em Belo Horinzonte. Foi lá que tive o meu primeiro encontro com Deus. Ganhei uma fita cassete do meu primo Jackson, a qual estavam gravadas algumas de suas composições. Foi através delas que, durante 5 anos, ouvindo e cantando, conheci a Jesus.

  2. Sueli veiga disse:

    Robson, ApdS meu querido irmão:
    Sem palavras para expressar a felicidade de ver algo tão especial, um trabalho perfeito Vc conseguiu transcrever com detalhes a história de vida deste irmão amado e querido que deixou no legado de sua vida um registro musical com toda a inspiração Divina. Que Deus continue te usando para muitos outros registros de testemunhos como o do nosso irmão Jackson Fontes. Um grande abraço.

  3. Leice Ortega disse:

    Atestou a veracidade de tudo que foi dito Aqui a respeito de Jackson, a quem tive o prazer e a honra de conhecer. Cresci cantando esses louvores sublimes, sem sequer imaginar serem da autoria daquele jovem simples, risonho e doce. A profundidade das suas letras só é possível para Alguém que era Amigo de Deus.

  4. Marco Maurício Sousa e Morais de Lima disse:

    Ele fez louvores lindos. Glória a Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *