Como planejar um Festival de Hinos – Sue Mitchell Wallace – Trad. Marcio Lisboa

Está planejando um culto especial para a sua igreja e comunidade? Considere realizar um festival de hinos, uma seleção de músicas e leituras, muitas vezes, a partir das Escrituras, que atrai pessoas de todas as idades.

            O apóstolo Paulo exortou o povo de Éfeso a cantar as palavras e as melodias dos salmos e hinos, quando estavam juntos, “Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração; dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo” Efésios 5:19-20.

O Festival de hinos é uma excelente oportunidade de atender o conselho de Paulo de reunir-se com outros cristãos para cantar louvores ao Criador.

Por que um Festival de Hinos?

O formato de festival de hinos é flexível e adaptável. Ele pode ser organizado para desafiar uma congregação do tamanho de uma catedral ou estruturado para atender as necessidades de vinte famílias que se reúnem em uma capela de uma cidade do interior. Um Festival de Hinos pode envolver uma liderança com apenas duas pessoas (pastor e músico) ou muitas pessoas (coros, leitores, solistas vocais e instrumentais).

Basicamente, um Festival de Hinos é um culto em que a maior parte da liturgia é a música. Normalmente esses festivais são construídos em torno de um único tema para dar unidade e significado ao culto. Os temas poderão incluir hinos sobre a obra de Cristo, hinos sobre o trabalho do Espírito Santo, hinos relacionados ao calendário litúrgico da igreja, ou hinos de um autor ou compositor em particular. Uma vez que geralmente é melhor deixar as pessoas querendo mais do que supersaturá-las, a duração dos festivais de hinos não deve ultrapassar uma hora e quinze minutos.

Organizando o Festival

A escolha do tema deve ser a prioridade máxima da comissão de planejamento. Depois de terem chegado a um acordo sobre o conceito unificador, o grupo deve procurar um festival de hinos publicado sobre esse assunto ou começar a estudar cuidadosamente letras de hinos, selecionar hinos e textos das Escrituras apropriados e adicionar litanias, orações e outras partes da liturgia que unifiquem o todo em uma mensagem comum e um único propósito. A próxima prioridade deve ser a escolha, dentre uma variedade de formas, da maneira em que os membros da congregação irão interpretar os hinos. Considere as seguintes possibilidades que têm sido utilizadas com sucesso por outras congregações:

  • Use um concertato. Há publicadoras que mantêm em seu catálogo numerosos arranjos de hinos que envolvem instrumentos, congregações e uma variedade de configurações do coro.
  • Destaque estrofes individuais para serem:
    • Lidas em uníssono, em vez de cantadas.
    • Cantadas por um solista.
    • Cantadas por um coro.
    • Interpretadas pelo organista ou outro instrumentista.
    • Cantadas apenas por homens ou mulheres.
    • Cantadas a capella.
    • Cantadas como um cânone.
    • Interpretadas por coreografias ou encenações.
    • Acompanhadas por descantes ou obbligatos instrumentais sobre a melodia.
  • Use introduções variadas e alguns interlúdios para definir o clima do hino ou uma ponte para uma oração, de uma estrofe introspectiva para uma aclamação festiva (ou vice-versa).
  • Tenha o coro cantando um hino para dar uma pausa à congregação.

Ao selecionar os hinos para o festival, não se esqueça de usar uma combinação de hinos favoritos em conjunto com hinos mais novos, menos familiares. Se você quer evitar fazer um ensaio com a congregação, muitas vezes realizado no início de um festival, faça com que solistas ou coros cantem duas ou três estrofes de um hino desconhecido antes de convidar a congregação para cantar junto. Como diz o adágio: “Nós gostamos do que nós entendemos, e entendemos o que gostamos.”

Se você faz parte de uma grande congregação ou de uma pequena, certifique-se de envolver tantas pessoas quanto possível. Inclua leitores, coros, instrumentistas e solistas. Utilize instrumentos rítmicos, sinos de mãos, cordas, sopros e violão. Se possível, convide instrumentistas que tocam metais (trompetes, trompas, trombones e etc) de uma escola local para se juntar com fanfarras ou descantes festivos. Quanto mais pessoas você envolver, mais apoio e participação terá.

E lembre-se, ao considerar quais membros da sua congregação têm talento para oferecer ao Festival de Hinos, não chame apenas os músicos e bons oradores. Considere os talentos das pessoas de negócio, homens e mulheres cujo conhecimento de publicidade (jornal local) e impressão (programas, cartazes e folhetos) pode ser de grande ajuda. Use os talentos artísticos dos membros para desenhar capas de programas, cartazes e banners para o evento. Peça aos membros aposentados para dar avisos e telefonemas a cada membro da congregação com um convite pessoal; peça-lhes que organize grupos de carros para buscar e levar os membros que são incapazes de dirigir. E providencie a gravação/filmagem do festival para aqueles que não puderam comparecer ou gostariam de reviver o festival e “continuar cantando.”

Planejamento e Contagem regressiva

Planejar um Festival de Hinos leva tempo – cerca de três meses é razoável.

É muito importante que os principais participantes do festival estejam satisfeitos com o fluxo do programa. Todos os instrumentistas devem ensaiar no local para conhecer a acústica e o equilíbrio do conjunto. Os coros devem estar muito familiarizados com todos os textos para que eles possam ajudar a congregação. Todos os leitores devem estar familiarizados com seus textos e deve ser dado tempo para trabalharem com o sistema de sonorização. Se todos entenderem e estiverem confortáveis com esses pormenores, o festival estará livre de preocupação ou ansiedade, e prosseguirá com confiança e grande sucesso.

Finalmente, como o Dr. Paul Manz sugere, faça do seu evento um “Te Deum” e não um “tédio”. O planejamento cuidadoso e o seu entusiasmo pessoal tem muito a ver com o sucesso do programa. Portanto, não espere que o Espírito Santo desça e crie tudo na hora e no local. Os melhores cultos musicais e festivais são o resultado do esforço previdente e consciente.

Sue Mitchell Wallace, 2008
Tradução: Márcio Lisboa, 2012
Revisão: Joaquim Júnior, 2019

© 2008 de Sue Mitchell Wallace / © 2012 da tradução de Marcio Roberto Lisboa
Revisão de Joaquim Junior
Usado com permissão

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *