Alberto Corazza Jr

Biografia

– “Parece mesmo uma voz de Escola Dominical! Vou recomendá-lo a estudar com meu irmão”.

Alberto Corazza nasceu em 17/12/1938 na Cidade de São Paulo/SP.

Corazza servia o exército, entre 1957 e 1958, no 4° RI (Regimento de Infantaria em Quitaúna, São Paulo) e um dia, na formação matinal de todo o Regimento, cantando o Hino Nacional, um Capitão ao ouvir a sua bonita voz de tenor lhe perguntou:
– “ Onde você aprendeu a cantar assim?”
– “No coro da Igreja, Sr. Capitão.”
– “Parece mesmo uma voz de Escola Dominical! Vou recomendá-lo a estudar com meu irmão”.

Alberto Corazza

O então Capitão no 4° RI era Walter José Faustini, irmão do João Wilson Faustini.

E foi assim que Alberto Corazza passou a ser aluno de regência do Maestro João Wilson Faustini, em um curso criado na 1.ª Igreja Presbiteriana Independente (a Catedral Evangélica). Faustini já havia voltado dos Estados Unidos, diplomado pela Westminster Choir College, trabalhava no Instituto José Manuel da Conceição (JMC), sucedendo a Evelina Harper e era regente do Coro da 1.ª Igreja Presbiteriana Independente.

Corazza já estudava música e cantava no Coral Evangélico. Foi seu primeiro professor o regente, violinista e cantor Mario Zanforlin, lá na Igreja Metodista da Vila Mariana e havia sido convidado a cantar no Coral Evangélico por Dona Winnie. O Regente era Umberto Cantoni.

Os nomes de Mário Zanforlin e Winnie Falconi indicam a formação do Corazza na Igreja Metodista e na Igreja Metodista Central, onde seu pai era tenor do Coro desde os tempos em que o maestro Alberto Ream (1913-1996) era o regente.

Sem deixar de ser metodista, regeu durante 7 anos (1966 a 1972) o Coro da 1.ª Igreja Presbiteriana Independente, sucedendo a Luiz Roberto Borges e, em 1972, cedendo o lugar a João Faustini que retornava ao Brasil novamente, aceita o convite da Igreja Unida para reger o Coro que vinha sendo conduzido por Ondina Kerr.
Corazza conta que durante os sete anos em que atuou como regente na 1.ª Igreja Presbiteriana Independente, colheu as mais gratificantes experiências musicais e marcantes episódios para sua carreira de regente. O motivo que o levou a deixar o cargo, espontaneamente, foi a oportunidade de reconduzir àquele posto de regente o seu professor, João Faustini.

Ondina Kerr sabendo que o Corazza estaria sem “podium” sentiu que era o momento de deixar o cargo de regente, que ela sempre considerou ocupar provisoriamente e envidou esforços para que a Igreja Unida o convidasse como regente efetivo.

“A Igreja de melhor acústica onde trabalhei”. E nessa acústica, soaram sob sua regência a Cantata n.° 4 de J. S. Bach, a Cantata “O Esperado das Nações” de Alberto Ream e um coro masculino, que fazia muito sucesso cantando “O Peregrino”.

O Boletim da Igreja Presbiteriana Unida de São Paulo de 13 de julho de 1975 anunciava: “Nosso regente Dr. Alberto Corazza foi aprovado em recente concurso para delegado. Nossos parabéns” . Teria a Secretaria de Segurança Pública roubado o regente? Em 1976 D. Ondina voltava ao seu posto de regente provisório.

Corazza muito colaborou como Secretário Geral de Publicidade “O Ministério da Música”, publicação dos músicos evangélicos brasileiros, que tinha por redatora Joanei Silva Miranda. Assumiu a Regência do Coral Evangélico de São Paulo em Janeiro de 1960, sucedendo o maestro Umberto Cantoni, e deixou o posto em 1970.

A letra do Hino Oficial da Polícia Civil de São Paulo é de autoria de Alberto Corazza, juntamente com Adolfo Vasconcelos Noronha, com música do grande compositor Amaral Vieira.

Corazza é formado em Direito pela Faculdade Metropolitana Unida (FMU) – turma de 1968-1972.

Alberto Corazza reside atualmente na Cidade de Santos/SP.

Fonte: Kerr, Samuel M. “A História da Atividade Musical na Igreja Presbiteriana Unida de São Paulo – Uma Fisionomia Possível”, pág. 86

Atualizações biográficas: Robson Junior

Você pode gostar...

5 Resultados

  1. Eliezer Arantes da Costa disse:

    Conheci Alberto Corazza Jr. num Workshop de Planejamento Estratégico da Associação Evangélica Beneficente, nas instalações cedidas pela Igreja Presbiteriana da Vila Mariana.
    Naquela ocasião, não fiquei sabendo de seu envolvimento com a música sacra evangélica.
    Agora, leio, com surpresa, esta bibliografia dele!
    Talvez ele nem se lembre de mim, mas eu me lembro muito bem dele.
    Muito positivo, atuante, contribuiu muito para o direcionamento estratégico da AEB.
    Meus abraços ao irmão Corazza.
    Eliezer

  2. Sucinto mas verdadeiro! Acrescentar : assumi a Regência do Coral Evangélico de São Paulo. Das mãos de Umberto Cantoni, em janeiro de 1960 e deixei o posto em 1970!

  3. Aida Corazza disse:

    Por isso tenho maior orgulho do meu pai, tanto na música como na polícia

  4. Conceicao ferreira disse:

    Muitos parabéns Dr.Corazza! Seu currículum é excelente.

  5. Isabel Caruso Ferreira disse:

    Lembro do Corazza cantando, com meus irmãos, no Conjunto Masculino da Igreja Metodista Central, sob a regência do Maestro Humberto Cantoni.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *