Adolpho Penno

Biografia

Adolpho Reynaldo Penno (1900-1996)

 

Adolpho Reynaldo Penno (1900-1996), descendente de imigrantes letos, foi aluno do Colégio Batista do Rio de Janeiro, onde mais tarde tornou-se professor.

Engenheiro civil, na década de 60 foi inspetor da Direção-Geral do Banco do Brasil, no Rio de Janeiro.

Em 1917, com 17 anos de idade, começou a elaborar antemas, nove dos quais foram incluídos por Arthur Lakschevitz, a partir de 1931, em sua coletânea “Coros Sacros” (volumes I e II), e utilizados em muitas igrejas evangélicas da época; nela figuram os seguintes: “O novo céu”, com música de Jules Dahlof (no. 6); “Jerusalém, celeste lar” (no. 15); “As tempestades desta vida” (no. 17); “Ressoa o clamor divinal” (no. 20); “Saudades do eterno lar” (no. 40); “Eia, moços, vamos batalhar” (no. 46); “A glória de Sião” (no. 47); “Avante, avante! Vamos navegar” (no. 49); e “Meu amigo” (no. 51).

Seu irmão mais velho, Henrique Rodolpho Penno (1895-1974), foi autor do hino “Que alegria neste dia” (no. 411 do “Cantor Cristão”, 17ª. edição), escrito em 1918 para a solenidade de organização da Igreja Batista do Méier (Rio de Janeiro).

 

Rolando de Nassau

© Rolando de Nassau – Usado com permissão

 

(1900-1996)

Você pode gostar...