Amor Profundo

HistóriaLetraInformaçõesRecursos e Partituras

Amor Profundo – O amor quam ecstaticus
O Love, How Deep, How Broad, How High – Sl 103
Latino do Século XV atribuído à Thomas Kempis
Trad. Inglêsa Benjamin Webb (1820-1885)
Trad.
J. Costa, 1969

Não se sabe ao certo quem é o autor deste hino Latino do século XV.  Entretanto ele tem sido atribuído a Thomas Kempis, natural da cidade de Kempen, ao longo do Reno, no norte da Alemanha, em 1379 ou 1380.  O nome de família de Thomas Kempis é Hammerken, mas ele era conhecido pela sua cidade Natal.  Seu pai era um camponês, sua mãe mantinha uma escola para crianças de Kempen. Aos 12 anos foi para o internato de uma Irmandade em Deventer, onde aprendeu Latim e ficou até os 18 anos.  Em 1398 foi recebido com membro oficial dessa Irmandade. No ano seguinte ingressou em outra instituição religiosa, no Monte St. Agnes. Em 1413 foi ordenado sacerdote. Kempis compilou missais e breviários, e um famoso livro intitulado “A imitação de Cristo”, um dos livros, depois da Bíblia, mais traduzidos em muitos idiomas.

O amor quam ecstaticus foi traduzido para o inglês por Benjamim Webb (1822-1885) um eminente Anglicano que pertenceu ao Movimento Oxford, movimento esse que surgiu na Inglaterra (1833-1845) entre intelectuais associados à Universidade de Oxford. Eles eram Anglicanos que buscavam o reavivamento da Igreja dos tempos apostólicos e para isto estudavam documentos religiosos antigos em Grego e Latim.  Através desse movimento, muita literatura e muitos hinos primitivos foram traduzidos para o inglês, e alguns deles, do inglês para o português, entre os quais, Amor profundo. Webb era poeta, fez parte de comissões de hinários e também foi editor de coleções de hinos publicados na época.

A tradução portuguesa deste hino é de J. Costa  e foi publicada pela primeira vez em 1972, em “Seja Louvado”, um hinário bilíngue compilado por João Wilson Faustini para uma Igreja que mantem cultos em português nos Estados Unidos, a “St. Paul’s Presbyterian Church”, de Newark, no estado de Nova Jersey. No Hinário Cantai Todos os Povos (2006) é o número 358. Encontramos também, uma música nova para ele datada de 1999, elaborada por Sueudo Fernandes.

Robson Junior

Notas:

¹ . FAUSTINI, João Wilson. Amor profundo. Mensagem recebida por <robsonjosesantosjunior@gmail.com> em 07 dez 2016.

Amor Profundo – O amor quam ecstaticus
O Love, How Deep, How Broad, How High
Latino do Século XV atribuído à Thomas Kempis
Trad. Inglêsa Benjamin Webb (1820-1885)
Trad. J. Costa, 1969

1. Amor profundo, sem igual,
Incompreensível, divinal:
O Deus, o Filho se vestir
Da forma humana, e nos remir!

2. Por nós, João o batizou;
Quarenta dias jejuou;
Por nós sofreu a tentação
Vencendo o mal e a escuridão.

3. Por nós sofreu a traição
A zombaria, a rejeição;
Por nós as dores suportou
Por nós na cruz ele expirou.

4. Por nós, dos mortos ressurgiu,
Por nós aos céus depois subiu,
Mandando o Deus Consolador
Que nos conduz em seu amor.

Amor Profundo
O amor quam ecstaticus
O Love, How Deep, How Broad, How High

Letra: Atribuída à Thomas Kempis (1380-1471)

Tradução: J. Costa (João Wilson Faustini) (1931)

Métrica: 8.8.8.8

Música: “The Agincourt Song”, 1415

Música alternativa: Sueudo Fernandes, 1999

Data da tradução para o português: 1972

Título original: “O amor quam ecstaticus”

Título original em Inglês: “O Love, How Deep, How Broad, How High”

Título original em Português: “Amor Profundo”

Primeira linha da primeira estrofe: Amor profundo, sem igual,

Fonte original: Desconhecida

Fonte original em Português: Seja Louvado, 1972

Referências Bíblicas: João 3.16

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Pr Carlos Moraes disse:

    Lindo relato.

  2. Pr Carlos Moraes disse:

    Lindo relato.

Deixe uma resposta para Pr Carlos Moraes Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *