“Alvo mais que a neve”, hino racista? – Rolando de Nassau

“Alvo mais que a neve”, hino racista?

(Especial para “Hinologia Cristã”)

Eden Reeder Latta (1839-1915) em 1881 escreveu a letra do hino “The Blood of the Lamb” (O sangue do Cordeiro).

Nos Estados Unidos da América, o presidente Abraham Lincoln tinha afirmado que seu governo não poderia perdurar “com uma metade a favor e a outra contra a escravatura”. Em 1861 tinha começado a guerra civil entre o Norte e o Sul da América estadunidense, levando Lincoln, em 1º. de janeiro de 1863, a proclamar a emancipação dos escravos negros.

Quando E. R. Latta escreveu o seu hino, um entre os 1.600 de sua autoria, ainda vigorava a discriminação racial. Latta, que pertencia a tradicional família de lavradores, foi grande entusiasta do ensino agrícola e influenciou o currículo da universidade “Purdue”.

Alvo mais que a neve – Harpa Cristã

          Na década de 80 do século 19 foram aprovadas leis que promoveram a reforma agrária, mas a discriminação racial dificultou a distribuição de terras aos ex-escravos. Nessa época, os negócios do gado e da agricultura atingiram seu grau máximo de prosperidade. Latta estava diretamente interessado nos problemas rurais. Latta conhecia de perto a situação dos ex-escravos negros e, inadvertidamente, cunhou uma expressão de cunho racista: “I shall be whiter than snow” (eu serei mais branco que a neve). Seu famoso hino foi publicado por Ira David Sankey, que tinha servido ao exército na Guerra Civil, na coletânea “Sacred Songs and Solos” (1873), sob o no. 296.

Preocupada com a repercussão que o hino de Latta ainda poderia ter nas igrejas de brancos e de negros, a convenção batista do Sul dos EUA não aproveitou esse hino nas edições de 1975 e de 1991 do “Baptist Hymnal”, nem incluiu o nome de Latta entre os hinógrafos evangélicos. O Manual que acompanhou o Hinário em sua edição de 1975 distinguiu os hinos como “cultivados” ou “vernaculares”, usando o critério erudito ou popular da preferência das congregações.

O hino de Latta foi traduzido em 1914 pelo missionário Henry Maxwell Wright (1849-1931). Em 2015 escrevi a biografia e hinografia de Wright para este “site”. É muito provável que Wright tenha conhecido a edição de 1913 do “The World Evangel”, de Robert H. Coleman (possuímos um exemplar deste hinário), no qual figura sob o no. 345 o hino “Whiter than Snow”, atribuído a James Nicholson (1828-1876). Wright preferiu a letra de Latta.

No “Cantor Cristão” a tradução de Wright passava a ideia de que o crente branco seria mais alvo que a neve; em sua grande maioria, os cultuantes não conheciam a história da escravidão nos EUA.

O autor, Latta, errou em 1881; o tradutor, Wright, repetiu o erro ao insistir no refrão: “Eu serei mais branco que a neve”. A palavra “alva” era uma alusão à veste talar (litúrgica) usada nas cerimônias das Igrejas protestantes, de cor branca, em formato de túnica (cobriu-se com a alva, como quem se cobre de neve).

O “Cantor Cristão” reproduziu, em 1956, sob o no. 123, a redação tradicional do fim do estribilho, sendo acompanhado pelos seguintes hinários: “Salmos e Hinos” (1975), no.438; “Harpa Cristã” (antiga, 1975), no.39; “Hinário Evangélico” (1978), no. 36; “Novo Cântico” (1991) no. 269; “Harpa Cristã” (nova, 1992), no, 117; “Cantai todos os povos” (2006), no. 98; “Hinário Adventista” (2011), no. 205.

A Comissão Especial da Convenção Batista Brasileira, sob a arguta orientação da missionária Joan Larie Sutton, retirou do estribilho a possibilidade da acusação de ser uma expressão de tendência racista, com esta nova redação: “pois, em Seu sangue lavados, nós temos perdão do Senhor”. Propomos que todos os hinários adotem essa redação.

Recentemente, pelo “YOUTUBE” (https:youtube/KGaB70fyCmM),  Kléber Lucas (1968-    ) afirmou que o hino de Latta e Wright é racista. Cantor, compositor, autor e produtor musical de Música Cristã Contemporânea no Brasil, Kléber Lucas passou algum tempo nos EUA; parece que voltou ao Brasil, imbuído, por conhecimento histórico e experiência pessoal, das ideias progressistas divulgadas pelo movimento da cultura negra estadunidense.

Kléber Lucas tratou o assunto do hino do ponto-de-vista ideológico, ultrapassando o sentido espiritual do texto.

Mas esqueceu que, em 2005, gravou o cântico “Doxologia”, usando a mesma redação, que agora censura, para o estribilho da tradução de H.M.Wright!

Os hinários acima citados orientaram-se por passagens bíblicas. Chegamos à conclusão de que o referido hino tem a seu favor os seguintes argumentos:

  1. bendito é o Cordeiro, não o pecador;
  2. bendito é o sangue do Cordeiro (Jesus), não as boas obras do pecador;
  3. é Jesus quem lava os pecados e purifica o pecador (1ª.João 1:9);
  4. os pecados têm a cor escarlata, mas serão brancos como a neve (Salmo 51:7; Isaías1: 18).

Brasília, DF, em 15 de dezembro de 2022.

Rolando de Nassau

© 2022 de Rolando de Nassau – Usado com permissão
Doc.HC-135

Nota do Editor:

Apocalipse 7:14
E eu disse-lhe: Senhor, tu sabes. E ele disse-me: Estes são os que vieram de grande tribulação, lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro

Você pode gostar...

24 Resultados

  1. Cyrene Paparotti disse:

    “Lava-me com hissopo e ficarei mais branco que a neve” SL 51:7
    O comentarista partiu de uma falsa premissa. O sangue de Jesus nos lava do pecado (sujo) e nos deixa limpos (brancos). Não há nenhuma mensagem racista nesta história.

    • É pq as pessoas querem chegar a conclusão de qualquer vez que se falar a palavra “branca” estará sempre se referindo a pele… só pode!! Ridículo esse posicionamento do canto em dizer que o hino é racista.

      • Getúlio disse:

        Cyrene, “nos deixa limpos(brancos)” e “não ha mensagem racista nesta história” . Faz sentir do pra você?

    • Matheus Lago disse:

      Excelente colocação Cyrene.

    • Luci disse:

      Ligar branco a limpo é que torna racismo, pq o limpo tem que ser branco??? Se eu limpar algo preto ele continua sendo preto porém limpo ele não se torna branco pq eu limpei….

    • Elias Alexandre de Souza disse:

      O hino Alvo Mais que a Neve, fala do sentido espiritual das nossas vidas, não tem nada a ver com cor de pele, seja branca, negra ou pardo. A composição original não contém nenhum erro de grafia nas letras, da mesma forma na tradução para Português não há erro. É só ler a história do autor do hino com calma. 📖 Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que tenham direito à árvore da vida e possam entrar na cidade pelas portas. (Ap. 22:14) Concluindo veja o que disse o Sábio Salomão. 📖 Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes e jamais falte óleo sobre a tua cabeça. (Ec. 9: 8), o versículo começa dizendo que as nossas vestes devem sempre ser alvas, brancas, isto é, limpas e sem pecado, porque foram alvejadas no sangue de Jesus. (Ap 7:14)

  2. Uma boa noite na paz do Altíssimo.
    Não sei sono .meu comentário xsclarece ou aumenta a polêmica.
    Pela bíblia segundo nós deixou Escrito o próprio Jesus Cristo a purificação significa limpeza.
    Ao reconhecer Deus e o sacrifício expiatório de Jesus
    Passamos a ouvir a palavra.
    Jesus disse que o que nos limpa é a palavras.
    Na cerimônia do lava pé Pedro disse Senhor lava me por completo Jesus respondeu.
    Vós estais limpos pela Palavra.
    O Sangue de Jesus nos junto com sua carne nos enxerta na Videira.
    Jesus disse. Quem não come a minha carne e não bebe o meu Sangue não tem parte comigo.
    Ao aceitarmos Jesus passamos a fazer parte do corpo de Cristo este enxerto acontece através daqueles símbolos do corpo e do Sangue de Cristo.

    • Sérgio Luis Soares da Silva disse:

      Se a enel cortar a energia elétrica de sua casa e vc ficar na escuridão? Neste caso quem é racista, a anel que cortou a energia ou vc que não pagou a conta? O hino fala de pecado, sou um homem negro e fico feliz em ter a certeza de que o sangue de Jesus me torna mas alvo do que a neve, no sentido claro de me purificar e de me perdoar de todos os meus pecados. Esse perdão dos meus pecados não altera minha cor eu continuo sendo um homem negro.

    • Erica disse:

      NO CEU NAO HAVERÁ DIFERENÇA, NEM DE TAMANHO ,NEM DE CORPO…RACISMO É UMA PALAVRA DA TERRA,CRIADA PELO HOMEM.NO CÉUS NÃO HÁ DIFERENÇAS. DEUS FEZ NEGROS,BRANCOS,PARDOS,BAIXOS, ALTOS,ETC.
      TODOS DIFERENTES NA CARNE,PELO PECADO,MAS O ESPÍRITO É ALVO MAIS QUE A NEVE.MAS DIANTE DE DEUS NÃO HÁ DIFERENÇA. ELE AMA A TODOS.E SE DEUS ASSIM FEZ,ASSIM ELE SE AGRADA E TUDO QUE DEUS FAZ É BOM,PERFEITO E AGRADÁVEL. O HOMEM MAL,QUE CARREGA O PECADO INVENTOU A PALAVRA RACISMO.

  3. Gilson Sousa disse:

    O entendimento racional da Palavra de Deus sempre leva o homem à interpretação conforme a letra. A falta de revelação e de conhecimento do profético leva à morte. “…a letra mata, mas o Espírito dá vida” – 2a aos Coríntios 3:6.

    • Matheus Lago disse:

      Gilson, Deus é logos conforme escrito em Jo 1.1-3. Logos é lógica, razão, inteligência. A palavra é para pessoas no uso de sua inteligência e racionalidade compreenderem sua plenitude, inclusive para compreender que o texto de IICo 3.6 não se trata de ser cristão inteligente ou ignorante, mas do uso da letra da lei no contexto da redenção.

  4. Romildo disse:

    O cara escreve 1600 hinos, todos bíblicos, e vem bloqueiro dizer que ele errou em usar uma expressão BIBLICA em um dos hinos. Ou seja, o bloqueiro se ofende não é com o hino, mas com a expressao biblica! Hoje ele critica o hino, amanhã o autor do texto bíblicos. Por fim, colocara em cheque o Divino Espírito Santo q inspirou as escrituras. Tudo isso pq sua ideologia é o seu verdairo deus.

    • Sérgio Luis Soares da Silva disse:

      Se a enel cortar a energia elétrica de sua casa e vc ficar na escuridão? Neste caso quem é racista, a anel que cortou a energia ou vc que não pagou a conta? O hino fala de pecado, sou um homem negro e fico feliz em ter a certeza de que o sangue de Jesus me torna mas alvo do que a neve, no sentido claro de me purificar e de me perdoar de todos os meus pecados. Esse perdão dos meus pecados não altera minha cor eu continuo sendo um homem negro.

  5. Osmar Santos disse:

    No texto bíblico não há margem para interpretação de cor de pele ou raça. Não se trata de algo preto que se torna branco. São os pecados vermelhos que são lavados, não as pessoas. O que passa disso é figura de linguagem empregada no hino, uma metonímia.

  6. Hudson Silva disse:

    Esperar o que de um cara que canta dentro da igreja “Deus cuida de mim na sombra das suas asas” e depois canta “o acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído” é muita contradição numa mesma pessoa, é lamentável!

  7. לָבַן lâban (Branco)
    Strong’s: H3835

    Usar de ideologia não é ultrapassar o sentido espiritual do texto, mas deformar o texto. O texto deve ser entendido no seu contexto, interpretado do ponto de vista gramático-histórico, e aplicado conforme a necessidade.

    Todos nós precisamos ser lavados no sangue do cordeiro e Ele nos limpa de toda a impureza do pecado. Quem nos dera pudéssemos ser mais alvos do que a neve (Isaías 1:18, Salmo 51:7) e receber o perdão e o arrependimento que fluem deste relacionamento com Cristo. O branco evocado nesses contextos de nada têm a ver questões raciais, nem mesmo na etimologia do termo. Não devemos impor os nossos preconceitos sobre os textos bíblicos.

    Alvo Mais Que a Neve (Blessed be the Fountain of Blood) é um hino belíssimo. Nenhum cristão ao cantar esse hino pensa em questões raciais. Nem deveriam.O hino é uma ode ao Sangue do Cordeiro que nos purifica de todo o pecado!

    • Luci disse:

      Então mas estar limpo quer dizer estar branco…se tem um carro preto e ele tá sujo quando ele é limpo ele não fica branco ele fica um preto limpo

  8. Elias Alves disse:

    Não é verdade que o Kleber esqueceu de que já cantou o hino. Ele fala claramente que já cantou e que vai continuar cantando.

  9. Cleide disse:

    Graça e paz irmãos. Eu preciso do hinário com partitura para piano.

  10. Adiel Silva disse:

    Acredito que mais do que uma discussão sobre o hino em sí, uma análise da causa do provável exagero do cantor se justifica.Tendo essa história sobre esse hino, o que a palavra negro entre outras situações de racismo estrutural representa para quem realmente sofre na pele.
    Prefiro ter o olhar do porque essa do hino e outras visões são vistas como opressoras.Existe causa do porque?É nisso que foco meus pensamentos e luta.

  11. Elias Alexandre de Souza disse:

    O cara que diz que cantou e vai continuar cantando, deve está com a mente doente falar asneira criando a polêmica em torno do hino sacro Alvo Mais que a Neve que já tem mais de 141 anos! Ninguém pense que surtei pois achei por bem quebrar todos os CDs deste camarada que eu tinha, que depois dessa aberração perdeu a credibilidade. Deus não vai me castigar por isso! Pois sempre cantei e contínuo cantando os hinos sacros da Harpa Cristã.

    Alvo Mais que a Neve (em seu título original: “Blessed Be the Fountain”) foi escrita por Eden Reeder Latta em 1881, com base no texto de Isaías 1:18: Vinde, então, e argui-me, diz o Senhor; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.

  12. Pr. Marcos Mayer disse:

    Gálatas 3:28 NVI
    Não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus.

    Isaías 1:18,19
    Vinde então, e argüi-me, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã. Se quiserdes, e obedecerdes, comereis o bem desta terra.

    As vezes não tendo com o que encher o tempo perde-se tempo quando na verdade temos pouco tempo, “JOÃO 4:35, Vocês não dizem: ‘Daqui a quatro meses haverá a colheita’? Eu digo a vocês: Abram os olhos e vejam os campos! Eles estão maduros para a colheita”.
    Nesses dias que vivemos onde humorista se ofende com piadas e pastores questionam a palavra da bíblia por lerem pouco. A palavra pra igreja e para os pastores é Salmos 119:105, pois tento sempre ir nessa luz criando o mínimo de polemica e questionamentos uma vez que isso traz prejuízos na evangelização.

  13. OTONIEL CABRAL disse:

    O compositor Eder Reeder Latta era abolicionista.
    Que fique CLARO.

  14. Joel disse:

    O racismo está tão entranhado em nossa sociedade que por vezes chegamos a reproduzi-lo sem ao menos a gente perceber. Sou evangélico, e reconheço o quanto precisamos aprender e avançar nesse debate e mais ainda, ter a humildade de reconhecer a necessidade de aprendizado. Penso que Kleber Lucas quando gravou a música Doxologia ainda não tinha se apropriado deste debate. Nós aprendemos a cada dia e é isso que nos faz crescer na graça e no conhecimento. Sei que não é facil pra muitos aceitarem isso, pois assim como eu, cantavam e cantam esse hino nos cultos de Santa Ceia da igreja. Parabenizo a página por trazer a tona a história da letra e nos ajudar a repensar nossas práticas para nos tornar seres humanos melhores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.