A contribuição feminina à hinodia evangélica – (III) – Roberto Torres Hollanda

A contribuição feminina à hinodia evangélica – III
(Especial para “Hinologia Cristã”)

A geração nascida na década de 60 exigiu das Igrejas, mesmo as mais tradicionais, a aceitação nos  cultos de novos hinos e novas canções de muitas fontes entretanto a hinografia de mulheres foi quase completamente ignorada durante mais de 20 anos.

Na década de 90 surgiram várias edições de hinários, denominacionais e particulares.

Continuarei a comentar a contribuição, realizada entre 1834 e 1986, das hinógrafas; neste artigo totalizaremos a produção de 51 personagens importantes na hinodia evangélica.

Doris Akers (1922-1995), mesmo não tendo feito qualquer treinamento musical formal, ela possuía a habilidade de reger coros. Escreveu em 1965 o hino  “There’s a sweet, sweet Spirit” (The Baptist Hymnal, No. 243), durante um culto de oração.

Shirley Erena Murray (1931-2020), presbiteriana da Nova Zelândia, professora, ativista da Anistia Internacional, tem escrito hinos sobre direitos humanos, problemas femininos, justiça e paz. Escreveu, em 1988, “Of women, and of women’s hope we sing”.

Carol Owens (1931-    ) foi missionária da Igreja do Caminho, em Los Angeles, California, USA. Escreveu em 1972 o hino “God forgave my sin in Jesus’name” (TBH, no. 273).

Gerda Reinke Sodré (1932-    ) estudou no Instituto de Treinamento Cristão, no Rio de Janeiro e foi missionária da Junta de Missões Nacionais da CBB (1957-2001). Em 1962 escreveu o hino “Livro santo” (HCC, no. 215).

Beverly Terrell (1932-    ) em 1965 publicou seu hino “Dá-me Tua visão” (HCC, no.546). Estudou música na universidade metodista do Sul dos EUA e lecionou na universidade batista de Dallas, Texas. Cantora, tem sido solista com orquestras sinfônicas do Texas.

Myrtes Mathias (1933-1996) foi uma das mais importantes e conhecidas poetisas batistas; licenciada em teologia pelo Seminário Teológico “Betel”, no Rio de Janeiro, foi missionária em Tocantinia, Goiás. Colaborou em várias revistas denominacionais batistas. Ocupou a cadeira no. 1 da Academia Evangélica de Letras do Brasil; foi a primeira mulher a ingressar nessa academia. Myrtes, em 1980, com Gladis Seitz, escreveu o hino “Nossa gente quer viver em segurança” (HCC, no. 533).

Eroísa Queiroz Salviano (1935-    ) traduziu o hino “Eu andei a sós com Cristo” (HCC, no. 404), originalmente escrito por Oswald Jeffray Smith, e muitos outros, além de cantatas de Peterson.

Alya Gonçalves da Silva (1936-    ) traduziu, em 1968, o hino “Let there be peace on Earth” (Haja paz na terra, HCC, no. 333), de Sy Miller e Jill Jackson.

Foi missionária da Junta de Missões Mundiais da CBB no Canadá.

Edile Corrêa de Oliveira Cavalcante (1939-    ) traduziu em 1980 o hino de Frederick Whitfield (1829-1904), “Oh, How I love Jesus”, de 1855. Edile bacharelou-se no “William Carey College”, no Mississipi, EUA, no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, no Rio de Janeiro, e na Universidade Federal do Rio de Janeiro (direito e música).

Gloria Gaither (1942-    ), cantora e letrista, esposa do compositor e empresário musical Bill Gaither em 1971 escreveu, em plena Guerra Fria, o hino “Because He lives” (TBH, no. 407), “Porque vivo está” (HCC-137).

Simei Ferreira de Barros Monteiro (1943-    ) compôs o hino em Buenos Aires, em 1973, durante um seminário de teologia, sendo publicado em 1975 pela Imprensa Metodista, sob o título “Canto o novo canto da Terra”, no hinário “A nova canção” (HCC-549).

Judy Ward (1945-    ) foi musicista profissional; em 1978 participou de um concurso, obtendo o 1º. lugar e tendo o seu hino publicado pela Broadman; foi traduzido em 1982 por Joan Larie Sutton, sob o título “Ele é meu e teu Senhor” (HCC, no. 202).

Gladis Seitz (1948-    ), inspirada pelo poema “Peso de nossa terra”, de Myrtes Mathias, escreveu em 1980 a letra do hino “Nossa gente quer viver em segurança” (HCC, no. 533).

Jilza Feitosa de Araújo (1950-    ) escreveu em 1983 o hino “Ó Deus, venho Te agradecer” (HCC-243).

Jilza bacharelou-se em literatura portuguesa pela Faculdade de Filosofia “Gama Filho”, no Rio de Janeiro, e estudou regência musical com o maestro Alceu Bocchino na Escola de Música da UFRJ.

Denise Cordeiro de Souza Frederico (1953-    ) em 1990 traduziu o hino de Eliza Edmunds Hewitt, “When we all get to heaven” (TBH, no. 514), sob o título “Lá no céu moraremos” (HCC, no. 583). Na década de 50, conheci seu pai, Jeiel Corrêa Ferreira de Souza, meu amigo e companheiro na Assembleia da Mocidade Batista Carioca (AMBC). Ela bacharelou-se em piano na Escola de Música da UFRJ, e em letras na UERJ; é mestre em música pela UFRGS e doutora em teologia pelo Instituto Ecumênico da Escola Superior de Teologia da IECLB, em São Leopoldo, RS.

Mônica Ferreira Coropos (1970-    ), adolescente, em 1986 escreveu a letra do hino “Usa, Senhor” (HCC no. 433). Estudou piano e música na Escola de Música da UFRJ e cursou o mestrado em educação musical no Conservatório Brasileiro de Música, no Rio de Janeiro.

Mônica foi a “caçula” entre as hinógrafas evangélicas do século 20.

Esta é a nossa homenagem às 51 mulheres que contribuíram para a hinodia evangélica.

Referências bibliográficas:

  • Lutheran Service Book: Companion to the Hymns, Vol. 2, Saint Louis, Missouri, USA, Concordia, 2019
  • Smith, Jane Stuart – Carlson, Betty. Favorite Women Hymn Writers. Wheaton, Illinois, USA, Crossway, 1990.
  • Wootton,Janet. This Is Our Song:  Seattle, WA, USA, Wipf and Stock, 2013.

Brasília, DF, 12 de outubro de 2021. – RTH.

Roberto Torres Hollanda (Rolando de Nassau)

© 2021 de Roberto Torres Hollanda – Usado com permissão
Doc.HC-118

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *