Um hino de Jerônimo Gueiros – Rolando de Nassau

Um Hino de Jerônimo Gueiros

(Especial para “Hinologia Cristã)
(Em memória de Irineu Coutinho de Hollanda)

Rev. Jerônimo Gueiros

John Robson Sweney (1837-1899) foi um prolífico hinógrafo e músico presbiteriano, que associou-se ao compositor episcopal metodista William James Kirkpatrick (1838-1921).

Eram amigos e sócios numa empresa editora musical.

Depois da Guerra Civil Americana (1861-1865), Sweney foi professor na academia militar do estado da Pensilvânia (EUA) e diretor de música da igreja presbiteriana “Betânia”, na cidade da Filadélfia.

Gozava de bom conceito entre os evangelistas, que dele diziam: “sabe como fazer uma congregação cantar”.

Nos últimos 30 anos de sua vida, dedicou-se a escrever letras para hinos tradicionais e canções espirituais (“gospel songs”); escreveu para mais de mil composições. Num de seus poemas afirmou que “a coroa dourada da vitória será reservada para todo coração fiel”.

Sweney compôs em 1897 a melodia “Stars in My Crown” (Estrelas na minha coroa) (ver: Cantor Cristão -114 e Hinário para o Culto Cristão -155). Sua música foi publicada em 1913 no “The World Evangel” (O Evangelho mundial), hinário de Robert H. Coleman; as 1ª., 3ª. e 6ª. edições, em Dallas, Texas; as 4ª. e 5ª. edições, em Philadelphia,  Pennsylvania; a 2ª., em Louisville, Kentucky (EUA).

Meu pai, Irineu Coutinho de Hollanda (1889-1965) quando chegou, em 1914, aos EUA, para estudar pedagogia no “William Jewell College”, a primeira coisa que fez foi comprar um exemplar do “The World Evangel”. Durante os últimos 70 anos, este volume centenário tem sido minha principal fonte de pesquisa musical.

Após a gigantesca campanha evangelística de Moody (1839-1899) na Filadélfia, em 1875, Sankey (1840-1908) resolveu continuar a coleção e publicação dos “gospel hymns” (hinos evangelísticos) da época, o que resultou no “Sacred Songs and Solos”. Entre 1875 e 1900, Moody foi o mais importlante expoente do protestantismo norte-americano (ver: OJB, 06 nov 2005).

Outro nordestino que apreciava a hinodia evangélica norte-americana foi Jerônimo Gueiros (1880-1953).

Em janeiro de 1917 passou por Natal (RN), onde Jerônimo era professor da Escola Normal do estado potiguar, um navio que se dirigia ao porto do Rio de Janeiro, carregando uma grande remessa, destinada à Casa Publicadora Batista (antecessora da JUERP), do “Sacred Songs and Solos”, coletânea de Ira David Sankey e Dwight Lyman Moody (ver: OJB, 01 fev 1917, p. 11).

Jerônimo teve oportunidade de comprar o S.S.S. nessa ocasião; era a edição do ano 1900, contendo 1.200 hinos; as anteriores vinham sendo publicadas desde 1870 (ver: “Sacred Songs and Solos”. (1.200 peças – letras e músicas). London: Morgan and Scott, 1900). Jerônimo talvez já possuísse uma edição anterior à publicada em 1900.

Pastor de várias igrejas presbiterianas no Nordeste, fundou a IP da Boa Vista, no Recife (PE). Hinógrafo e poeta, Jerônimo interessou-se pelo hino “Will there be any stars in my crown”, de Eliza Hewitt (1851-1920), no. 16 no TWE e no. 787 no SSS, escrito em 1897.

Eliza sempre viveu na cidade da Filadélfia, onde escreveu, pelo menos, 1.748 letras de hinos!

Inspirou-se na letra, que era do seguinte teor:

Stars In My Crown
“I am thinking today of that beautiful land
I shall reach when the sun goes down;
When through wonderful grace by my Saviour I stand,
Will there be any stars in my crown?

REFRAIN:
Will there be any stars in my crown
When at evening the sun goes down?
When I wake with the blest in the mansions of rest,
Will there be any stars in my crown?

In the strenght of the Lord let me labour and pray,
Let me watch as a winner of souls;
That bright stars may be mine in the glorious day,
When His praise like the sea-billow rolls?

O what joy will there be when His face I behold,
Living gems at His feet to lay down!
It would sweeten my bliss in the city of gold,
Should there be any stars in my crown.

A Vinda do Senhor

Como foi para o céu, Jesus Cristo há de vir
Quando o som da trombeta ecoar!
Quando a voz do arcanjo celeste se ouvir,
Eu irei com Jesus me encontrar.

Estribilho:

Oh! Que dia glorioso esse dia há de ser,
Quando o som da trombeta ecoar!
Quando Cristo, nas nuvens, tiver de descer
E, então, triunfante reinar!

Nesse dia de glória, o meu corpo mortal
Semelhante ao de Cristo há de ser!
E já livre da morte, e já livre do mal,
A vitória de Cristo hei de ver.

Eu aqui, pela cruz, para o mundo morri,
Muita dor ’inda aqui sofrerei;
Minha vida com Cristo em meu Deus escondi,
E com Cristo eu, enfim, reinarei.

Vem Jesus, ó Senhor, vem depressa reinar!
Vem a paz e a justiça trazer!
Criação, povo teu, tudo almeja o raiar
Desse dia de glória e poder.

Este império do mal vem, Senhor, destruir!
Rei celeste, vem presto reinar.
Vem, ó sol da justiça, no mundo luzir.
Ó meu Rei, vem meu pranto estancar.

Por volta de 1941, quando pastoreava a igreja do Recife, Jerônimo viu publicado no “Cantor Cristão” seu poema, intitulado “A vinda do Senhor”. O novo diretor da CPB, prof. Moisés Silveira, tinha incorporado o hino de Jerônimo na 28ª. edição do hinário, mantendo a música extraída do SSS-787.

A tradução feita por Theodoro Rodrigues Teixeira (1871- 1950), intitulada “Minha coroa”, também foi aproveitada no CC, sob o no. 507; TRT fora seu antecessor na direção da CPB.

O poema de Jerônimo era muito importante para a comunidade presbiteriana do Recife; foi cantado no jubileu de ouro de seu ministério pastoral, em 15 de setembro de 1951.

No livro “Projeções da minha vida” (1952), Jerônimo queixou-se de o CC ter publicado seu poema sem autorização.

O “Hinário para o Culto Cristão” (1991) na página 618 dá uma informação sobre direitos autorais: alguns hinos não possuem nota de Direitos Autorais, mas tinham sido protegidos no “Cantor Cristão”.

No meio evangélico, ainda hoje, 77 anos passados, isto acontece: um artigo nosso sobre as edições do CC, escrito para a “Hinologia Cristã”, está circulando disfarçado na Internet sob o manto de ser uma “biografia do “Cantor Cristão”.

Impressionado pela promessa registrada no Evangelho de Mateus (24: 29-31) e em outras passagens da Bíblia (l Coríntios 15: 52; I Tessalonicenses 4: 16; I Pedro 5: 4), Jerônimo, em seu poema “A Vinda do Senhor”, faz alusão, na segunda estrofe, ao milênio (Apocalipse 20: 4-6) e proclama sua fé na segunda vinda de Jesus Cristo.

Rolando de Nassau
Brasília, DF, em 20 de abril de 2018

© 2018 de Rolando de Nassau – Usado com permissão

2 Resultados

  1. Luiz Freixedas disse:

    LEVANTAMENTO BIBLIOGRÁFICO. HINOLOGICO. GENEALÓGICO. BIBLICO. HISTORICO. PROFETICO.

    • Anderson Vieira Annechini disse:

      Que bênção sabermos a essência espiritual dos hinos que amamos adorar ao nosso Deus na certeza de que este louvor verdadeiramente tem se tornado uma expressão de alma temida pelo sangue de Jesus! Aleluia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *