Tu és fiel, Senhor

HistóriaLetraInformações

Tu és fiel, Senhor

Letra: Thomas Obadiah Chishom (1866-1960), 1923
Port. Joan Larie Sutton (1930-2016), 1960
Lydia Cassano Bueno (1916-?), 1960
Hope Gordon Silva (1926-2022), 1960
Música: William Marion Runyan (1870–1957), 1923

O PASTOR Arthur Francis White, pastor batista aposentado de 88 anos de vida estava acamado no hospital. Sofrera uma queda muito brutal, que lhe fizera muito mal. Duas das suas quatro filhas revezavam-se ao seu lado. Anne, sua querida esposa de 58 anos, estava doente em casa, sem condições de estar com ele. (Havia de segui-lo ao lar celestial quatro meses mais tarde).

Numa hora quando sua filha Helen White Brock estava ao seu lado. o Pr. Arthur pediu: “Helen, cante comigo, Tu és fiel, Senhor”. O pr. Arthur possuía uma linda e possante voz de tenor. Uma de suas maiores alegrias era cantar o louvor de Cristo, a quem ele conhecera e amara desde menino, e servia fielmente há longos anos.

Helen nunca foi solista, mas cantava um contralto muito afinado no coro, e, quando necessário, regia o coro com eficiência, embora fosse mais uma instrumentista. Naquele momento, entretanto, começou o hino que ambos amavam e conheciam de cor. O pastor, com a voz fraca, uniu-se a ela. Em alguns minutos, com a voz falhando, o Pr. Arthur pediu: “Continue, Helen, não posso mais”. E assim Helen continuou a cantar este grande hino, enquanto seu pai, olhos fechados, apreciava. De repente, Helen notou que seu pai, um sorriso ainda nos lábios, parecia ter dormido. Percebeu que ele não estava mais ali. Partira para estar com seu fiel Pai celeste.

Este hino continuou a ser o hino da família de Helen e Ursus Brock e de suas filhas, Margaret, Edith e Mary. Foi escolhido por Ursus para fazer parte do seu próprio culto memorial, muitos anos mais tarde. Tem sido o testemunho de Edith e Dewey Mulholland por mais de 40 anos de serviço missionário no Brasil, 23 no Piauí, e o restante no Distrito Federal: Verdadeiramente, Deus é fiel!

O homem lia com cuidado as várias poesias que tinha diante de si. Elas lhe foram enviadas por um amigo, para que ele, sentindo a devida inspiração, escrevesse músicas para acompanhá-las.

Uma das poesias logo chamou a sua atenção.

“Esta poesia tinha tal apelo, que orei com todo o fervor para que a minha melodia pudesse transmitir a sua mensagem duma maneira digna.”[1]

A cena descrita transcorreu em 1923. O compositor era o Rev. William Marion Runyan, metodista norte americano. Sem dúvida, hoje podemos dizer: a música do compositor faz exatamente o que ele tão ardentemente desejou.[2]

Runyan nasceu no dia 21 de janeiro de 1870, em Marion, Estado de Nova York. Tinha grande inclinação para a música. Iniciou os seus estudos de música quando tinha cinco anos, e aos doze já servia como organista da igreja. Quando tinha 14 anos, seu pai, que era pastor metodista, mudou-se, com a família, para o Estado de Kansas.

Apesar do seu grande talento musical, Deus tinha outros planos para Runyan. Aos 21 anos de idade, foi consagrado ao ministério pastoral. Serviu como pastor e evangelista entre os metodistas por 32 anos.

Por causa de um problema de surdez, Runyan deixou o pastorado em 1923, para assumir responsabilidades na Universidade John Brown, trabalhando também como redator da revista Christian workers’ magazine (Revista do obreiro cristão) e como compilador de hinários.

De 1931 a 1944, ele serviu no Instituto Bíblico Moody, em Chicago. Foi nesse Instituto que o hino Tu és fiel, Senhor, tornou-se muito conhecido, tornando-se um dos prediletos dos alunos daquela instituição. Quando o Dr. Houghton, presidente da mesma, faleceu, o hino foi entoado por todos os presentes ao culto fúnebre.

Em 1923, quando Thomas O. Chisholm enviou aquelas poesias a William Runyan, este, compositor de quase 300 hinos, já havia feito umas 20 ou 25 músicas para acompanhar poesias de Chisholm, seu colega e grande amigo.

Thomas Obediah Chisholm nasceu no Estado de Kentucky, no dia 29 de julho de 1866, em circunstâncias humildes e teve de instruir-se por si mesmo. Apesar de só completar o curso primário por esforço próprio, mais tarde se tornou professor. Com 21 anos já era o redator auxiliar do jornal local.

Com 27 anos, Chisholm se converteu durante uma série de conferências evangelísticas. Mais tarde, foi consagrado ao ministério pela Igreja Metodista, mas o seu estado de saúde bastante precário proibiu que desenvolvesse muitas atividades. Por esta razão, ele deixou o pastorado.

Chisholm escreveu um total de aproximadamente 1.200 poesias. Faleceu no Lar Metodista de Ocean Grove, Estado de Nova Jersey, em 29 de fevereiro de 1960.

O hino Tu és fiel, Senhor foi publicado pela primeira vez em 1923, num hinário intitulado Songs of salvation (Cânticos de salvação) da autoria de Runyan.

O nome da melodia, dado pela família de Runyan, é FAITHFULNESS (Fidelidade).

A tradução é uma colaboração de Joan Larie Sutton, Lydia Bueno e Hope Gordon Silva datada de 1960.

Quando o Hinário da Campanha Nacional de Evangelização foi publicado pela JUERP, em 1964, um dos hinos “novos” que logo se tornou favorito foi o hino n.38, Tu és fiel, Senhor. Seguiu-se sua inclusão em Vinde, cantai! (1980). Foi um dos hinos mais alistados como favorito na pesquisa feita pela Comissão do Hinário para o culto cristão em todo o Brasil, para determinar quais fariam parte do novo hinário.

Este hino foi gravado por diversos grupos e corais no Brasil. Podemos citar em especial o Grupo Som Maior (1981) e o Grande Coral Evangélico, Reg. Dorotéa Kerr (2006).

*Texto retirado do livro Notas Históricas do HCC, Edith Brock Mulholland. Rio de Janeiro: JUERP, 2001.

Atualização: Robson Junior, 2022

[1]. RUNYAN, William M. Em: REYNOLDS, William J. Companion to Baptist Hymnal. Nashville: Broadman Press, 1976. pp.80-81.

[2] Adaptado de ICHTER, Bill H. Se os hinos falassem, v.III, 1ª ed. Rio de Janeiro: JUERP, 1971. pp.78-79.

Tu és fiel, Senhor

Letra: Thomas Obadiah Chishom (1866-1960), 1923
Port. Joan Larie Sutton (1930-2016), 1960
Lydia Cassano Bueno (1916-?), 1960
Hope Gordon Silva (1926-2022), 1960
Música: William Marion Runyan (1870–1957), 1923

Tu és fiel, Senhor, meu Pai celeste,
pleno poder aos teus filhos darás.
Nunca mudaste, tu nunca faltaste:
tal como eras, tu sempre serás.

Tu és fiel, Senhor, tu és fiel , Senhor,
dia após dia com bênçãos sem fim.
Tua mercê me sustenta e me guarda;
tu és fiel, Senhor, fiel a mim.

Flores e frutos, montanhas e mares,
sol, lua, estrelas no céu a brilhar:
tudo criaste na terra e nos ares.
Todo o universo vem, pois, te louvar!

Pleno perdão tu dás, paz, segurança;
cada momento me guias, Senhor.
E, no porvir — oh, que doce esperança!
desfrutarei do teu rico favor.

Tu és fiel, Senhor

Letra: Thomas Obadiah Chishom (1866-1960)

Data da Letra: 1923

Tradução: Joan Larie Sutton (1930-2016) / Lydia Cassano Bueno (1916-?), Hope Gordon Silva (1926-2022)

Data da Tradução: 1960

Música: William Marion Runyan (1870–1957)

Data da Música: 1923

Referências Bíblicas: 1 Coríntios 1:9

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.