Quico Fagundes

Quico Fagundes

Euclides Fagundes nasceu em 29/06/1956 na Cidade de Alegrete/RS. Mudou-se para Brasília, ainda criança, nos anos 60. Brasiliense de coração, diz que tem também um pouco de São José dos Campos, Campinas e Rio de Janeiro na alma, onde morou por temporadas. Metodista, membro da Assembléia Administrativa da Sociedade Bíblica do Brasil e, desde 2015, da Diretoria da SBB , engenheiro eletricista – opção eletrônica, servidor público, é, entretanto, com um violão nas mãos que revela a sua verdadeira identidade: músico cristão.

Nascido em uma família de músicos gaúchos, Os Fagundes, começou a tocar violão aos 9 anos, em Porto Alegre, continuou seus estudos em Brasília, mas foi em sua passagem por Campinas, nos anos 80, que aprimorou a técnica violonística, quando pode estudar com o Professor Milton Nunes, que ajudou-o a estruturar um repertório clássico abrangente e exigente. Retornando a Brasília, nos anos 90, pode estudar também com o professor Eustaquio Grillo, a quem deve, especialmente, o desenvolvimento do repertório de J. S. Bach.

Quico é contemporâneo e amigo próximo de Sérgio Pimenta, Aristeu Pires Jr. e Nelson Bomilcar, trio “de ouro” de Vencedores por Cristo, que, junto com outros “conspiradores”, colocou a música brasileira num patamar inimaginável dentro do contexto evangélico nacional.

A primeira participação de Quico que obteve reconhecimento junto ao público evangélico, foi o seu violão e arranjo em “A moça do poço”, no LP póstumo, em homenagem a Sérgio Pimenta, aqui em duas versões, cantada de 1988 e violão solo de 2011:

Nessa época, outro arranjo de Quico chamou a atenção: “Vem comigo”, também de Sérgio Pimenta. Gravado originalmente no LP “Pulsação” de 1988, tornou-se conhecido com este vídeo, de 2011:

Um texto de Quico sobre a vida e obra de Sérgio Pimenta, comentando o movimento de renovação da música cristã brasileira, também circulou na Internet, com boa aceitação: www.hinologia.org/sergio-pimenta

Quico gravou 1 LP, 5 CDs e tem vários vídeos publicados no Youtube, onde pode ser visto tocando Bach, clássicos do violão, e também jóias do repertório evangélico, com destaque para os duos com os músicos brasilienses Melina Prista e Toninho Maya, seus amigos “mais chegados que irmão”. Além disso, Quico é casado com Susana, tem duas filhas, dois genros e três netos (por enquanto, situação de 2015).

Fonte: O Colaborador

Você pode gostar...