Pablo Sosa

Pablo Sosa

Pablo David Sosa nasceu em 16/12/1933 na Cidade de Chivilcoy/Argentina.

Pablo Sosa é pastor da Igreja Metodista Argentina, e vive em Buenos Aires. Compositor internacionalmente conhecido, e inspirado músico litúrgico. Foi professor no Departamento de Música do ISEDET- Instituto Superior Evangélico de Estudos Teológicos, em Buenos Aires, onde, entre outras tarefas, coordenou a produção da musical.

Como muitos líderes de adoração e músicos, Pablo Sosa cresceu dentro da tradição das Belas Artes. Estudou teologiano mesma instituição da qual se torneou professor: o ISEDET. Estudou Música Sacra no Westminster Choir College, em Princeton e na Escola de Música Sacra do Union Seminary de Nova Iorque, nos EUA. Também estudou na Hochschule für Musik, em Berlin, Alemanha.

A vida na Argentina o levou questionar suas ideias sobre o que seria melhor para o canto congregacional. Durante a “guerra suja” na Argentina, duas mulheres jovens da sua igreja desapareceram e isso o marcou muito. Como as igrejas católicas e protestantes vacilavam entre o falar, o permanecer calado ou apoiar o governo, muitas pessoas perderam sua fé. A situação econômica, depois da guerra, jogou muitos argentinos da classe média na pobreza juntamente com os mais pobres e miseráveis.

A crescente consciência social de Pablo alargou sua visão e ele decidiu fazer renascer a esperança através duma canção. Ele descreve adoração como a festa dos que creem, onde todos são bem-vindos e toda a música é vista como parte da ‘canção da terra’, em resposta ao chamado do salmista: “Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os confins da terra” (Salmo 98:4).

Pablo Sosa tem o dom de fazer cantar as congregações. O seu primeiro princípio para o canto congregacional é deixar as pessoas cantar. Bob Batastini¹ diz, – Pablo Sosa tem uma grande habilidade para engajar a congregação. Ele às vezes conduz a música sem abrir a sua boca. E logo que as pessoas se apropriaram de uma canção, ele se retira. Nisso ele é bem diferente de outras pessoas, que tentam conduzir canções congregacionais, mas nunca deixam a congregação cantar com liberdade; dão a impressão de que se julgam mais importantes, sempre dando ordens ao microfone. Mas o lema de Pablo é: Deixe as pessoas cantar!

Pablo Sosa começou a escrever canções de adoração para achar a sua própria voz. Ele diz: “Eu conhecia bem os hinários, mas ali eu não pude achar minha voz. Só achei minha voz quando eu percebi que eram os oprimidos da Argentina que mantinham vivo o tesouro que precisávamos!”

A distinção entre música sacra e música secular é, muitas vezes, uma questão de poder. Se algo ou alguém ameaça nossa própria posição ou espaço de poder nós logo declaramos isto ‘não sagrado’, quer dizer, não adequado para a adoração de Deus, assim ele resume seu pensamento a respeito do assunto.

Quando professor nomeado no ISEDET, junto aos departamentos de Liturgia e Hinologia, ele inaugura, em 1962, a Escola de Música da instituição e, a partir de 1976, se une à equipe de produção criativa do Departamento de Comunicações do mesmo instituto. Em 1972, organiza o Conjunto Música para Todos, que dirige até 2003. Simultaneamente torna-se professor da Direção Coral no Conservatório Nacional de Música Carlos López Buchardo, de Buenos Aires, onde permaneceu durante 30 anos.

No campo da hinologia, Pablo Sosa tem participado na edição de vários hinários e coletâneas, entre os quais se destacam o hinário Cántico Nuevo (1962), o Cancionero Abierto (1974) e Canto y Fe de América Latina (2005) com a colaboração da organista e diretora Inke Frosch, da Igreja Evangélica do Rio da Prata.

Como compositor, Pablo utiliza a linguagem musical latino-americana na maioria de suas obras. Entre as mais conhecidas citamos: El cielo canta alegría (1958), Cristo vive (1960), Si fui motivo de dolor (só a música,1960), Miren qué bueno (1970), Gloria (1978), La bendición del Dios (só a música,1988), Este momento (1990) e, mais recentemente, Que esta Iglesia sea un árbol, dada a conhecer mundialmente, na Assembleia Geral do Conselho Mundial de Igrejas, em Busan, Coreia, 2013. Seus hinos têm sido traduzidos em diversos idiomas como: inglês, alemão, português, sueco, finlandês, chinês e japonês; e incluídos em hinários e coletâneas no mundo todo.

Graças a seu trabalho como compositor, diretor coral, editor de hinários, produtor de programas de rádio além dos ensinos na área de liturgia e hinologia, Pablo Sosa tem promovido incansavelmente a inclusão dos cânticos regionais nas igrejas ao redor do mundo. Nesse sentido, foi muito importante a sua contribuição à coletânea Jesus Cristo, vida do Mundo,da Sexta Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas, em Vancouver, em 1983, na qual atuou também como um dos animadores litúrgico-musicais.

Em 2003, a editoral GIA Publications, de Chicago, editou Este es el Día, um CD e coletânea com dezenove das suas canções e, em 2007, Pablo Sosa escreveu para a Igreja Metodista Unida dos EUA, Un canto de Libertad, referência para o estudo do movimento missionário através de suas canções. Um CD com outras vinte e cinco canções suas, compostas nos últimos quinze anos, gravadas por figuras destacadas da música popular argentina, foi lançado recentemente, em Buenos Aires com o título: El Cielo a la Altura de una Mesa.

Na coleção Este es el Dia, toma a liberdade para introduzir na Igreja ritmos esquecidos, ou mesmo desprezados e considerados como sub-cultura. Por exemplo Miren qué Bueno, baseado em Salmo 133, usa a “chamarrita”, uma forma de dança-canção rural. Síncopes africanas, ritmo de tango e sons de tambor marcam outras canções de Pablo Sosa.

Pablo Sosa nos convida a aceitar o que é diferente e a reconhecer o Cristo que vem a nós na pele de pessoas diferentes e de forma diferente. Nós precisamos desta experiência do outro em nossos cultos. Caso contrário nossa adoração se torna estagnada e sem vida.

No reconhecimento recente feito a Pablo Sosa, seu amigo e colega Andrew Donaldson, ex-consultor litúrgico do Conselho Mundial de Igrejas, destacou que “como diretor de Música para Todos, Sosa trabalhou para derrubar as barreiras entre a música popular e a música clássica e facilitar o acesso aos diferentes gêneros de música, superando divisões culturais e denominacionais.” “Sosa –afirmou Donaldson– é um intelectual incansável, que está sempre incorporando novas ideias, utilizando novos enfoques”. Sinalizou que a sua liderança na Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas em Vancouver, em 1983, provocou uma mudança significativa em sua própria vida pois foi impactado pela paixão e compaixão de Pablo Sosa – “em sua introspecção da cultura, das alegrias, das dores e das lutas da comunidade que originava as canções.”

Pablo Sosa foi reconhecido pela Hymn Society (Sociedade Hinológica dos EUA e Canadá) com o título de “Fellow”, título equivalente ao de Membro Pleno desta Sociedade. Este reconhecimento, de caráter vitalício, o mais alto outorgado pela Sociedade, deve-se ao seu trabalho como compositor, professor, diretor coral, músico eclesiástico e promotor dos cantos eclesiásticos regionais a nível mundial.

Referências:

http://www.ocp.org/en/index . “Kleines Nachschlagewerk zum Evangelischen Gesangbuch für Bayern und Thüringen” , Munique, s.d. . e Pablo Sosa on Congregational Singing na página http://www.calvin.edu/worship/stories/sosa.php

Notas:

  1. Batastini organizou a publicação de Este es el Día de Sosa, um CD de canções congregacionais, junto com traduções e arranjos bilíngues para coro. O CD Este es el Día foi lançado ao mercado discográfico religioso nos EUA. – A edição bilíngue inclui versões inglesas de todas as canções, muitas delas especialmente feitas por Mary Louise Bringle, excelente poetiza e acadêmica norte-americana. – Além da gravação, começou já a edição das partituras das canções com arranjos para coral, e um cancioneiro das canções para uso congregacional, ambos igualmente bilíngues. Mais informações em: www.giamusic.com/scstore/P-709.cfm
  2. A Hymn Society dos EUA e Canadá, fundada em 1922, é um organismo ecumênico de pessoas apaixonadas pelos hinos e o cântico congregacional. Reconhece a importância do canto do povo no ato do culto e quer assegurar sua futura vitalidade. É aberta a todos e todas interessados e é composta por acadêmicos, músicos de igrejas, poetas, compositores, diretores corais, integrantes de coros, clérigos, litúrgos, editores musicais, professores de música. Acredita que o sagrado ato de cantar em conjunto molda a fé, alivia o sofrimento, transforma vidas e promove a paz. Sua missão, em suma, é estimular, promover e animar o cântico congregacional.

Mais informações em: www.thehymnsociety.org

Fonte: http://www.luteranos.com.br/conteudo/pablo-d-sosa

Tradução: Leonardo Valevici
Revisão: Simei Monteiro

© do texto de The Hymn Society / Portal Luteranos
© Tradução de Leonardo Valevici – Usado com permissão

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *