James Theodore Houston

Biografia

James Theodore Houston (1845-1883)

Missionário na Bahia, Rio de Janeiro e Santa Catarina; autor de hinos

Rev. James Theodore Houston

James T. Houston nasceu em Olivesburg, Ohio, em 1847, sendo seus pais Robert e Rebecca Houston. Obteve o seu bacharelado em artes no Lafayette College, Pensilvânia, em 1871. Em seguida, estudou no Western Theological Seminary, no mesmo estado, formando-se em 1874. Foi ordenado nesse mesmo ano pelo Presbitério de Wooster, Ohio. Enviados pela Junta de Missões Estrangeiras, ele e a esposa Nancy partiram de Nova York no dia 23 de novembro de 1874, chegando a Salvador em 16 de dezembro e a Cachoeira em 31 de dezembro, para colaborar com o Rev. Francis J. C. Schneider. Este havia chegado a Salvador em 1871, tendo organizado a igreja presbiteriana local no ano seguinte. Schneider e Houston organizaram a Igreja de Cachoeira em 12 de setembro de 1875. Foi arrolado pelo Presbitério do Rio de Janeiro em 3 de agosto de 1876 e pastoreou a Igreja de Salvador de junho a outubro de 1877.

Em julho de 1877, o Presbitério nomeou Houston para pastorear a Igreja do Rio ao lado de Dillwin M. Hazlett. Houston assumiu o posto em novembro e trabalhou com Hazlett até janeiro de 1879. Ficou sozinho até outubro de 1880, quando Antônio Bandeira Trajano veio ajudá-lo. Os dois obreiros trabalharam juntos até agosto de 1885. Durante a sua residência no Rio de Janeiro, Houston fez visitas pastorais a Ubatuba, Cruzeiro e outros locais. Foi o primeiro ministro presbiteriano a pregar em Ubatuba, onde se demorou cinco dias no início de 1880. No dia 4 de março, celebrou a Santa Ceia e recebeu nove pessoas por profissão de fé e batismo (a igreja foi formalmente organizada pelo Rev. Trajano no dia 28 de novembro). Houston foi também um dos redatores da Imprensa Evangélica.

Durante o seu pastorado, em setembro de 1879, houve uma famosa cisão na Igreja do Rio, com o afastamento do presbítero Dr. Miguel Vieira Ferreira e um grupo de simpatizantes, que formaram a Igreja Evangélica Brasileira. Outro episódio conhecido ocorreu em 1883, durante a 19ª reunião do Presbitério. Ao amanhecer do dia 31 de agosto, o Rev. Antônio Pedro de Cerqueira Leite, que estava hospedado na residência do Rev. Houston, faleceu subitamente vitimado por um enfarte. A primeira esposa do Rev. Houston, Nancy, faleceu em 1881. Em 25 de abril de 1883, ele casou-se em segundas núpcias, em São Paulo, com a missionária Sophie Amanda Dale, de 24 anos, que havia vindo para o Brasil em 1881 e ocupava o cargo de professora em Rio Claro. A cerimônia foi realizada no salão da Escola Americana, sendo oficiante o Rev. Robert Lenington e servindo como testemunhas Manoel da Paixão e a professora Elmira Kuhl. Sophie era irmã de Martha Dale, a esposa do Rev. Robert Lenington.

No dia 14 de agosto de 1884, na época em que se intensificava a luta abolicionista, Houston pregou na Igreja do Rio um sermão que demonstrava a incompatibilidade da escravidão com o ensino bíblico e a prática cristã, exortando os fiéis a se empenharem na libertação dos escravos e profetizando o fim próximo da escravidão. O sermão foi publicado no mesmo ano. Em agosto de 1885, o Rev. Houston regressou aos Estados Unidos, depois de onze anos de serviços no Brasil. Pastoreou igrejas em Laclede e Kirksville, no Estado de Missouri. Somente em 1892 o Presbitério do Rio lhe deu carta de transferência para o Presbitério de Palmyra, nos Estados Unidos. Em 1896, Adielah (Ada), sua filha do primeiro casamento, casou-se com o Rev. Roberto Frederico Lenington.

Em 1900, Houston veio novamente para o Brasil, indo trabalhar em Florianópolis, ao lado de seu genro, o Rev. Roberto F. Lenington. Fez trabalho itinerante no litoral catarinense e construiu o templo de São Francisco do Sul. Em companhia do Rev. Lenington, organizou a Igreja de Florianópolis em 6 de janeiro de 1901. Em novembro de 1902, retornou à sua pátria definitivamente, tendo trabalhado em duas igrejas da Califórnia e servido como missionário entre portugueses daquela região. Faleceu em Oakland, na Califórnia, em 21 de junho de 1929, aos 82 anos. Sua esposa veio a falecer menos de um ano depois, em 13 de maio de 1930.

James Houston colaborou com a hinologia evangélica do Brasil. Foi o organizador da Nova Coleção de Hinos Sagrados para Uso da Igreja Evangélica, publicada no Rio de Janeiro em 1881, contendo 29 hinos. No hinário Hinos Evangélicos e Cânticos Sagrados, publicado por John Boyle no Rio de Janeiro, em 1888, encontravam-se vinte e quatro hinos de Houston. Quando preparava o hinário, Boyle enviou o manuscrito a Houston, que o examinou cuidadosamente e forneceu muitas sugestões sobre diferentes aspectos da obra (disposição dos assuntos, escolha dos hinos, falhas de versificação e equívocos doutrinários). Além do hinário do Rev. Boyle, as letras de hinos de James Houston também figuram em conhecidos hinários atuais como Salmos e Hinos (12 hinos), Hinário Evangélico (8 hinos) e Hinário Presbiteriano Novo Cântico (6 hinos). Alguns dos seus hinos* mais conhecidos são “Louvamos-te, ó Deus, pelo dom de Jesus”, “Dirijo a ti, Jesus, minha oração”, “Ó vinde fiéis, triunfantes e alegres”, “Grande Deus, em paz agora”, “Vem, Senhor, do bem a fonte” e “Oh, vinde todos! Celebrai”.

Dr. Alderi Matos

© Alderi Souza de Matos – Instituto Presbiteriano Mackenzie – Usado com permissão

Fotografia enviada pelo Colaborador Alderi Matos

* = Traduções/Letras

(1847-1929)

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *