Jair Pires

Biografia

Jair Pires da Silva (1937-2008)

“O Homem que Falava com Deus Cantando”!
52 anos de fé Cristã

Jair Pires

Jair Pires da Silva nasceu em 16/12/1937 na cidade de São Gabriel da Palha/ES.

Ministro do Evangelho por 38 anos, consagrado ao Ministério da Palavra de Deus, pela Convenção Estadual da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Estado do Rio de Janeiro. CEADER em 25 de Janeiro de 1965.

Pioneiro entre os cantores evangélicos do Brasil, 52 anos no Ministério da Música Sacra Cristã. Teve início de carreira em 1956 e no início dos anos 60 formou dueto com Hosana, com a dupla “Jair e Hosana” e também com seu irmão Homero Silva com a dupla “Os Galileus”. E, que nunca caem no esquecimento do povo cristão, as canções como: “Alma Cansada”, “Linda Cidade”,  “Até Jesus Chorou”, “Canta Meu Povo”, “O Pecado Não Dói”, “Igreja Velha”, “Esta Vida Não É Minha”, “Eu Era Triste”, “O Homem Sem Deus”… Sem esquecer da canção: “O Homem Rico” que foi o título do álbum que ganhou o Disco de Ouro. Oitenta e oito fonogramas gravados no Brasil, nos Estados Unidos da América (USA) e na Espanha.

Já visitou cantando e pregando em vários países com: Paraguai, Uruguai, Bolívia, Venezuela, Haiti, México, USA, Chile, África, Ilha do Sal, Tunísia, Grécia, Egito, Israel, Arábia Saudita, Assíria, Espanha e Portugal. Dr. Honoris causa em Música Sacra, pelo Instituto Morris Cerullo School Of Ministry em San Diego CA-USA. Diplomado a Comendador da Ordem dos Jornalistas Internacionais do Estado de São Paulo. Fundador da Ordem do Ministros Evangélicos do Brasil no Rio de Janeiro – sob o número: 2295. Detentor do Primeiro Disco de Ouro Evangélico do Brasil no ano de 1985, pela Continental Discos S/A São Paulo, por mais de 1 milhão de cópias vendidas, com o álbum: “O Homem Rico”. Capelão – Diplomado pelo UNIPAS – Internacional Union Of Pastors and Chaplains localizada em 31 Merchant St. 2 FI. Newark NJ 07105 – EUA. Teve um AVC no início de 2007 e faleceu em 12 de Março de 2008 aos 72 anos de idade. O sepultamento deu-se no cemitério de Edson Passos (Jardim da Saudade), na manhã de 14 de março de 2008, na Baixada Fluminense no Rio de Janeiro. Onde foi celebrado por seu irmão Homero Silva, com a participação de vários pastores, cantores, amigos e fãs. Quem não ouviu falar de Jair Pires, basta somente olhar ao longo dos anos e buscar informações nas igrejas que sempre haverá entre um grupo alguém que cresceu ouvindo Jair Pires ou que seus pais sempre cantavam suas belas canções seja de “Jair e Hosana; Os Galileus (Jair e Homero) ou Jair Pires (solo)”. Podemos dizer que Jair Pires é um marco na história da música evangélica nacional.

Formou dupla, durante anos, com a cantora Hosana e seu irmão Homero Silva com Os Galileus, deixando um vastíssimo repertório de obras musicais conhecidíssimas, tais como: Alma cansada, Canta meu povo, A vida do crente, Alguém me tocou, Cristo é meu amigo, Que coisa linda, Que bom seria, Estrada de espinhos, Que maravilha, O dever do Crente, Jesus é meu, Estou contigo, O Pecado não dói. Todas foram muito executadas, mas uma tornou-se um inesquecível, que foi a canção Alma cansada, desde seu lançamento nos anos 60, que rompeu nossas fronteiras alcançando notoriedade inclusive em outros países. O sucesso de Alma cansada, não se credita a autoria de Alma cansada a Jair Pires, o que é lamentável, havendo esse reconhecimento somente nas cifras disponíveis na internet das músicas da cantora gaúcha Mara Lima. Depois de desfeita a dupla com Hosana – a cantora é domiciliada no Espírito Santo, em Cariacica, onde continua em atividade – Jair Pires juntou-se a seu irmão Homero Silva, autor e compositor de algumas composições da dupla Os Galileus, gravando alguns LPs pela antiga gravadora Bandeira Branca, Doce Harmonia, Desperta Brasil, Celeste, Unisom, Som e Louvores. Contendo as músicas Vamos cultuar, O pecado não dói, O nosso Deus está aqui e Eu preciso de Ti. Após a fase de Os Galileus, o incansável Jair Pires embrenhou-se na estrada como cantor solo, ainda pela Bandeira Branca, marcando época com Plantando amor (O chão só dá se a gente plantar, se a gente não planta o chão não dá…). Na década de noventa alguns fatos (como se isto fosse novidade) marcaram ainda mais a vida musical do Jair Pires. Um deles foi o estrondoso sucesso alcançado por Shirley Carvalhaes, sua amiga pessoal, com a gravação de Bate coração, dele, pela multinacional Warner Music, faixa inserida no disco Quero te adorar, de Shirley. Quando as rádios evangélicas pouco executavam as canções de Jair & Hosana, d’Os Galileus e do cantor sozinho, Jair Pires surge como um furacão nas rádios com os trabalhos O homem rico e Folha seca. As músicas eram tão fortes que mesmo sem a tutela de uma gravadora na produção executiva o público cantou muito Eu comparo a vida de um homem sem Deus como a folha seca caída no chão… Jair Pires gravou (solo, dueto e grupo) 70 discos.

Reprodução: Facebook Oficial Jair Pires © Jair Pires da Silva Junior- Usado com permissão

Fotografia extraída de: Facebook Oficial de Jair Pires (https://www.facebook.com/JairPiresCantor)

 (1937-2008)

Você pode gostar...