“Hinos Avulsos” – Misael Passos

“Hinos Avulsos”

Afora hinos  de nossos hinários,  dezenas  de  novos  compositores  estão  se  aventurando  a  escrever  novos  hinos nem sempre  correspondendo  aos  padrões  bíblicos  e  da  Hinologia Cristã.

Há  também  cantores  ávidos  por  novidades, pois  precisam  de  lançar  novos  CDs  no  mercado,  e  a  doença do  “inédito”  se  propaga  como  uma  epidemia  sem  controle.

O que estará acontecendo com os antigos hinos de nossos hinários, ricos em melodia, e muito mais ricos ainda no contexto bíblico? Estão sendo  esquecidos  em  troca  de qualquer  refrão, ás  vezes  longe  dos  textos  bíblicos, ou  pior,  chocando  com  as  verdades  bíblicas.  Lembro de  um  dos   “sucessos” bem  apreciados  pelo  povão  onde  o  sangue  de  Jesus  era  esquecido,  e  os  nossos  pecados foram  parar  dentro  do  “madeiro  da  cruz”.

“Hinos” agora são feitos sob encomenda,  apelativos,  comerciais,  temas  desgastados  para  copiar  sucessos  anteriores.  Hinos  sobre a  ovelha  perdida,  ovelha  ferida,  ovelha  machucada,  ovelha  que  sofre,  ovelha  que  chora,  lamenta,  um  sofrimento  que  não  parece ter  fim.  Parece  que  não  é  mais: “O Bom  Pastor  dá  a  vida  pelas  ovelhas”. Tem  gente  achando  que  é: “A boa  ovelha  dá  a  vida  pelo  seu  pastor…”

Pior  do  que  a  letra  ser  um  “desastre” é  a  PROFANAÇÃO  de  diversos  “hinos”  que  não  passam  de  uma  adaptação  grosseira  de  temas  musicais  de  sucesso  da  música  secular  que  são  trazidas  sem  dó  nem  piedade  para  dentro  de  nossas  igrejas.  Este  tipo  de  ofensa  contra  Deus  é  bem  declarado  em  Ez  22.26  onde  diz: “…Profanam  as  minhas  coisas  santas;  entre  o  santo  e  o  profano  não  fazem  diferença,  nem  discernem  o  impuro  do  puro;”

Será que Deus não inspira mais compositores que nos  dêem  hinos  como  “Foi  na  Cruz”,  “Rude  Cruz”,  “Tu  és  Fiel,  Senhor”,  “Quão  grande  és  Tu”,  “Alvo  mais  que  a  neve”  e  outros?

Se  novos  hinos  estão  deixando  para  traz  padrões  bíblicos,  mensagens  edificantes  e  de  adoração,  voltemos  aos  velhos  hinos  e  aprendamos  com  eles  o  que  Deus  quer  falar  aos  nossos  corações.  Ainda  está  sendo  uma  boa  ideia  regravarmos  hinos conhecidos  com  uma  boa  orquestração,  e  “medleys” onde  uma  estrofe  de  cada  hino  é  cantado,  emendando  com  outro  hino  sob  o   mesmo  tema.  Enfim, temos maestros e compositores cristãos competentes para renovar musicalmente um hino antigo, sem   que  a  sua  essência  seja  depreciada.

Mas  também  há  novos  compositores  abençoados,  apegados  à  palavra  do  Senhor,  que  levam  à  sério  Rm  15.9  e  se  importam   apenas  em  cantar  ao  nome  do  Senhor.  Cl  3.16  dá  a  receita  completa: “A  palavra  de  Cristo  habite  em  vós  abundantemente,  em  toda  a  sabedoria,  ensinando-vos  e  admoestando-vos  uns  aos  outros,  com  salmos,  hinos  e  cânticos  espirituais;  cantando  ao  Senhor  com  graça  em  vosso  coração.

Um  hino  deve  levar  conforto,  produzir  reflexão,  meditação  e  devoção.  Um  hino  com  a  simplicidade  do  salmo  136  pode  falar  bem  alto  aos  nossos  corações  e  produzir  o  espírito  de  louvor  e  adoração  que  a  nossa  alma  almeja  para  chegarmos  à   presença  de  Deus.

Que nossos hinos sejam assim!

Misael Passos

© de Misael Passos – Usado com permissão

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *