Eis dos anjos a harmonia! / Cantam Anjos Harmonia

HistóriaCantam Anjos HarmoniasEis dos anjos a harmoniaEis, dos anjos, a harmonia! _ Adap.Louvor AngelicalNatalNatal - adap.Informações

Eis dos anjos a harmonia! / Cantam Anjos Harmonias

Letra: Charles Wesley, 1739
Tradução: Robert Hawkey Morenton, 1887
Música: Félix Meldenssohn-Bartholdy, “Festgesang” (Cantata), 1840 William Hayman Cummings, 1855

Deus, na sua providência, reuniu homens diferentes para que a igreja tivesse um dos mais lindos hinos de Natal. O autor era um membro do clero da Igreja Anglicana, que se tornou um dos fundadores da Igreja Metodista. O compositor era um judeu, nascido na Alemanha, que se converteu e filiou-se à Igreja Luterana. O tradutor era um pastor metodista, nascido na Argentina, que optou pela nacionalidade inglesa, e trabalhou em Portugal por 46 anos. Este hino expressa toda a alegria presente na ocasião do nascimento de Jesus, retratando textos bíblicos como Isaías 9.6 e Lucas 2.13-14.

Este hino foi escrito em 1739 por Charles Wesley.

Charles Wesley nasceu na Inglaterra, no dia 18 de dezembro de 1707. Foi o penúltimo dos 19 filhos do casal Samuel e Susana Wesley. Era um verdadeiro lar cristão. Seu pai, Rev. Samuel Wesley, foi um excelente pregador, marido e pai exemplar, e um talentoso e fecundo escritor. Sua mãe, Susana, era a figura central do lar que muito contribuiu para o ensino da obediência, respeito e reverência na família. Havia uma rígida disciplina, porém, aplicada com amor e compreensão. Era um lar que dava muito valor à música e à poesia. Charles Wesley disse que quando sua mãe morreu os filhos atenderam seu último pedido: “Crianças, logo que eu partir, cantem um Salmo de louvor a Deus” (ICHTER, p.37).

Charles Wesley foi educado na Escola de Westminster, em Londres, e na Universidade de Oxford. Era um excelente aluno, e durante seus estudos, teve participação ativa no Movimento “Clube Sacro” e em um grupo intitulado “Oxford Methodists”, do qual se tornou um líder. Em 1735, quando já era um pastor ordenado fez uma viagem a uma colônia inglesa na Geórgia, Estados Unidos, e ficou impressionado com o entusiasmo com que um grupo de moravianos cantava. Charles conta que sua verdadeira conversão espiritual se deu no dia 20 de maio de 1738 e, a partir desta data, Charles se tornou um pregador incansável. Ele, juntamente com seu irmão John Wesley, viajaram muito, pregando às multidões e formando grupos para leitura bíblica, estudo e oração. Em todas estas atividades, porém, Charles permaneceu leal à Igreja da Inglaterra apesar das suas muitas críticas, e não concordou com o grupo “metodista” que queria se desligar da igreja-mãe. Ele discordava em muitos pontos de seu irmão John, porém essas diferenças, apesar de serem muitas, não chegaram a causar o rompimento dos laços fraternais tão intimamente cultivados durante os primeiros anos de suas vidas.

A história de John e Charles, e a influência que tiveram sobre a vida política e social na Inglaterra através da pregação do evangelho, é um capítulo muito interessante na história da igreja. A família Wesley é conhecida pela origem da Igreja Metodista, mas se não fosse conhecida por este motivo, certamente o seria pela grande contribuição feita à hinoloiga. Charles Wesley escreveu mais de 6500 hinos. O Dr. John Julian, considerado a maior autoridade da hinologia inglesa disse que Charles Wesley “foi o maior escritor de hinos de todas as épocas” (ICHTER, p. 36).

Charles Wesley casou-se em 1749 e teve muitos filhos, mas apenas quatro sobreviveram. Três meninos tornaram-se músicos e a única menina tornou-se poetisa. Charles Wesley morreu no dia 29 de março de 1788.

O Compositor é Jakob Ludwing Félix Mendelssohn.

Félix Mendelssohn nasceu em Hamburgo, Alemanha, no dia 3 de fevereiro de 1809. A família Mendelssohn era muito unida e alegre. O seu pai, Abraham, era um banqueiro. Sua mãe era cantora e artista. Foi ela quem deu as primeiras aulas de música ao menino Félix. Era um menino pródigo, de grande talento musical. Apesar de ser um prolífico músico, ele exercia outras atividades. Gostava de natação, ginástica, dama e bilhar. Também possuía um excelente senso de humor. Quando ainda era menino, sua família mudou-se para Berlim, onde se tornaram membros da Igreja Luterana. Aos domingos à tarde era comum haver ensaio de uma pequena orquestra na casa de Félix Mendelssohn. Muitas vezes, ainda menino, dirigiu a orquestra em peças que ele mesmo havia composto.

Félix Mendelssohn casou-se em 1837 com Cecile Charlotte Sophie Jeanreoud, filha de um pastor protestante francês. Tiveram três meninos e duas meninas. Tornou-se um grande compositor, pianista e maestro. Deixou um vasto repertório de música erudita. Félix Mendelssohn morreu em Lípsia, no dia 4 de novembro de 1847.

A melodia que recebeu o nome de MENDELSSOHN foi composta por Félix Mendelssohn e fazia parte da cantata “Festgesang for Male Chorus and Orchestra” apresentada primeiramente no festival realizado em Leipzig, em junho de 1840, para celebrar a invenção da imprensa. O organista deste coral, na Abadia de Waltham, era o Dr. Willian Hayman Cummings (1831-1915). Foi ele quem fez o arranjo da melodia para o hino de Charles Wesley. A letra do hino de Charles Wesley já havia sido cantada muitas vezes com outras melodias, porém, quando foi adicionada pela primeira vez com a música de Mendelssohn, pelo Dr. Williams Commings, em 1855, imediatamente começou a ganhar fama no mundo inteiro.

A letra que temos hoje é bem diferente da original de Charles Wesley. O seu amigo e colaborador, George Whitefield (1714-1770), fez algumas modificações, mas o hino ainda mantém o mesmo espírito jubiloso intenso que Charles Wesley expressou no original.

A tradução que temos em português, feita em 1887, é de Reverendo Robert Hawkey Moreton.

O Reverendo Robert Moreton era um verdadeiro homem internacional, pois nasceu em Buenos Aires, na Argentina, seus pais eram ingleses, estudou nos Estados Unidos, trabalhou 4 anos na Inglaterra e chegou em Portugal em 1871, onde trabalhou por 46 anos como missionário metodista. Fez seus estudos teológicos no Colégio Teológico de Richmond. Organizou a Igreja Metodista no Porto e pregou a Palavra de Deus em muitas províncias portuguesas. Deu todo o seu apoio à União Cristã de Mocidade de Portugal. Casou-se em 1871 com Inês Moreton e teve 4 filhos.

Seu primeiro hino em português foi escrito em 1873 e, em 1876, preparou um livro de orações, e posteriormente, uma coleção de hinos. Ele traduziu várias obras para o português, adaptou o livro Mapas Bíblicos, e colaborou muito em revisões bíblicas. Ele realizou conferências sobre História e sobre Ciências naturais, que conhecia profundamente. Escreveu numerosos cânticos, sendo alguns de própria autoria, e outros traduzidos ou adaptados.

Robert Moreton morreu em na cidade o Porto, no dia 14 de março de 1917.

Referências Bibliográficas:

-BRAGA, Henriqueta R. F. Música Sacra Evangélica no Brasil. Rio de Janeiro: Livraria Kosmos Editora, 1961.
-ICHTER, Bill H. Se os Hinos Falassem. Vol. III, 2ª ed. Rio de Janeiro: JUERP, 1976.
-KEITH, Edmond D. Hinódia Cristã. 2ª ed. Rio de Janeiro: Casa Publicadora Batista, 1987.

Todas as informações hinológicas sobre este hino foram compiladas pelo nosso colaborador Rolando de Nassau.

Cantam Anjos Harmonias

Letra: Charles Wesley, 1739, alt.
Tradução:
Robert Hawkey Morenton, 1887
Música:
Félix Meldenssohn-Bartholdy ““Festgesang” (Cantata), 1840 William Hayman Cummings, 1855

Cantam anjos harmonias
ao nascer o Salvador.
Traz do céu o Rei-Messias
paz com Deus e santo amor.
Cantem povos, exultantes,
cantem salmos triunfantes,
aclamando o seu Senhor,
nasce Cristo, o Redentor.

Estribilho:
Toda a terra e altos céus
cantem sempre glória a Deus.

Cristo, o Filho entronizado,
sua glória abandonou.
Entre os homens, humilhado,
cruz e morte suportou.
É bondosa a Divindade.
É feliz a humanidade.
Esperança de Israel
é Jesus, Emanuel.

Cante o povo resgatado
glória a Deus, Senhor da paz,
pois, em Cristo revelado,
vida e luz ao mundo traz.
Nasce a fim de renascermos,
vive para revivermos-
Rei, Profeta e Salvador.
Louvem todos ao Senhor.

Eis dos anjos a harmonia!

Letra: Charles Wesley, 1739
Tradução: Robert Hawkey Morenton, 1887
Música: Félix Meldenssohn-Bartholdy, “Festgesang” (Cantata), 1840 William Hayman Cummings, 1855

Eis dos anjos a harmonia!
Cantam glória ao Rei Jesus.
Paz aos homens! Que alegria!
Paz com Deus em plena luz.
Ouçam povos, exultantes;
Ergam salmos triunfantes,
Aclamando seu Senhor;
Nasce Cristo, o Salvador!

Estribilho:
Toda a terra e os altos céus
Cantem sempre glória a Deus!

Cristo, eternamente honrado,
Do seu trono se ausentou!
E entre os homens, encarnado,
Deus conosco se mostrou.
Quão bondosa Divindade!
Quão gloriosa Humanidade!
Salve a glória de Israel,
Luz do mundo, Emanuel!

Cante o povo resgatado:
Glória a Deus, Senhor da Paz!
Pois, em Cristo revelado,
Vida e luz ao mundo traz!
Nasce a fim de renascermos!
Vive para revivermos!
Rei, Profeta e Salvador,;
Louvem todos ao Senhor!

Eis, dos anjos, a harmonia!

Letra: Charles Wesley, 1739
Tradução: Robert Hawkey Morenton, 1887
Música: Félix Meldenssohn-Bartholdy ““Festgesang” (Cantata), 1840 William Hayman Cummings, 1855

Eis, dos anjos, a harmonia!
Cantam glória ao Rei Jesus!
Paz aos homens! Que alegria!
Paz com Deus em plena luz.
Ouçam povos exultantes;
Ergam salmos triunfantes,
Aclamando seu Senhor;
Nasce Cristo, o Redentor!

Estribilho:
Toda a terra e os altos céus
Cantem sempre glória a Deus!

Cristo, eternamente honrado,
Do seu trono aqui baixou.
Cristo, entre homens encarnado,
Deus conosco se mostrou.
Quão bondosa divindade!
Quão gloriosa humanidade!
Salve glória de Israel,
Luz do mundo, Emanuel!

Cante o povo resgatado:
Glória ao Príncipe da paz;
Deus em Cristo revelado,
Vida e luz ao mundo traz!
Nasce a fim de renascermos,
Vive para revivermos,
Rei, Profeta e Salvador.
Louvem todos ao Senhor!

Louvor Angelical

Letra: Charles Wesley, 1739, alt.
Tradução: Robert Hawkey Morenton, 1887
Música: Félix Meldenssohn-Bartholdy ““Festgesang” (Cantata), 1840 William Hayman Cummings, 1855

Eis dos anjos a harmonia!
Cantam glória ao Rei Jesus.
Paz aos homens! Que alegria!
Paz com Deus em plena luz.
Ouçam povos, exultantes;
Ergam salmos triunfantes,
Aclamando seu Senhor;
Nasce Cristo, o Redentor!

Estribilho:
Toda a terra e os altos céus
Cantem sempre glória a Deus!

Cristo, eternamente honrado,
Do seu trono se ausentou!
E entre os homens, encarnado,
Deus conosco se mostrou.
Quão bondosa Divindade!
Quão gloriosa Humanidade!
Salve Cristo, Emanuel,
Luz do mundo, Deus fiel!

Cante o povo resgatado:
Glória ao Príncipe da Paz!
Deus em Cristo, revelado
Vida e luz ao mundo traz!
Nasce a fim de renascermos!
Vive para revivermos!
Rei, Profeta, Intercessor,
Louvem todos ao Senhor!

Natal

Letra: Charles Wesley, 1739
Tradução: Robert Hawkey Morenton, 1887
Música: Félix Meldenssohn-Bartholdy, “Festgesang” (Cantata), 1840 William Hayman Cummings, 1855

Eis dos anjos a harmonia;
Cantam glória ao novo Rei,
Paz aos homens e alegria,
Paz com Deus suave lei.
Ouçam povos, exultantes,
Ergam salmos triunfantes,
Aclamando o seu Senhor;
Nasce Cristo, o Redentor.

Estribilho:
Toda a terra e altos céus
Cantem glória ao Homem-Deus!

Cante o povo resgatado
Glória ao Príncipe da paz.
Deus, em Cristo revelado,
Vida e luz ao mundo traz.
Nasce pra que renasçamos,
Vive para que vivamos
– Rei, Profeta e Salvador.
Louvem todos ao Senhor!

Natal (adaptado)

Letra: Charles Wesley, 1739, alt.
Tradução: Robert Hawkey Morenton, 1887 , alt.
Música: Félix Meldenssohn-Bartholdy ““Festgesang” (Cantata), 1840 William Hayman Cummings, 1855

Eis dos anjos a harmonia!
Cantam glória ao Rei Jesus.
Paz aos homens! Que alegria!
Paz com Deus em plena luz.
Ouçam povos exultantes,
Ergam salmos triunfantes,
Aclamando seu Senhor;
Nasce Cristo, o Redentor.

Estribilho:
Toda a terra e os altos céus
Cantem sempre glória a Deus!

Cristo eternamente honrado,
Do seu trono se ausentou.
Cristo, entre homens encarnado,
Deus conosco se mostrou.
Que sublime divindade,
E que excelsa humanidade!
Salve glória de Israel,
Luz do mundo, Emanuel!

Cante o povo resgatado
Glória ao Príncipe da paz;
Deus em Cristo revelado,
Vida e luz ao mundo traz!
Nasce a fim de renascermos,
Vive para revivermos,
Rei, Profeta e Salvador.
Louvem todos ao Senhor.

Eis dos anjos a harmonia!

Letra: Charles Wesley (1707-1788)

Tradução: Robert Hawkey Moreton (1844-1917)

Métrica: 8.7.8.7.8.8.7.7, com estribilho

Música: Felix Mendelssohn-Bartholdy (1809-1847)

Arranjo: William Hayman Cummings (1831-1915)

Melodia: 2º. movimento da cantata “Festgesang” (1840)

Data da publicação da letra: 1739

Data da publicação da tradução: 1887

Publicação original: “Hymns and Sacred Poems”

Título original: “Hark! The Herald Angels Sing”

Título original em português: “Eis dos anjos a harmonia”

Nome da melodia: “MENDELSSOHN”

Primeira linha da primeira estrofe (incipit): “Eis dos anjos a harmonia!”

Primeira linha do estribilho: ” Toda a terra e os altos céus”

Data do arranjo: 1855

Tonalidade: Fá maior

Álbuns:

  • CD Charles Wesley 300 anos – Carlos Eduardo Vieira e Luiz Otávio Pereira do Carmo, 2007. (Faixa 03)
  • CD Sons e Tons do Natal – Grande Coral Evangélico – Regência Dorotéa Kerr, 1997. (Faixa 01)

Referência Bíblica: Lucas 2:20

Áudio: CD Sons e Tons do Natal – Grande Coral Evangélico – Regência Dorotéa Kerr, 1997. (Faixa 19) – Usado com permissão

Áudio: CD Charles Wesley 300 anos – Carlos Eduardo Vieira e Luiz Otávio Pereira do Carmo, 2007. (Faixa 03) – Usado com permissão

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Jônatas Fernandes disse:

    Riquíssimas informações!
    Sem comentários para este hino.., realmente, um clássico para o natal!!

  2. Jônatas Fernandes disse:

    Riquíssimas informações!
    Sem comentários para este hino.., realmente, um clássico para o natal!!

Deixe uma resposta para Jônatas Fernandes Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *